18:56 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Silvio Berlusconi

    Ele voltou: Berlusconi quer uma vaga no Parlamento da União Europeia em maio

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Europa
    URL curta
    111
    Nos siga no

    O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi disse nesta quinta-feira que concorrerá às eleições parlamentares européias em maio, sendo candidato a um cargo público pela primeira vez desde que foi condenado por fraude fiscal em 2013.

    Berlusconi, de 82 anos, um extravagante político da mídia e um político de centro-direita propenso a escândalos, foi expulso do Senado e demitido do cargo após sua condenação.

    No entanto, a proibição foi suspensa em maio do ano passado, permitindo que ele retornasse à disputa eleitoral.

    "Na minha velhice madura, decidi sair do senso de responsabilidade de ir para a Europa, que carece de uma visão de mundo profunda", afirmou Berlusconi, que está sempre bronzeado, a simpatizantes da ilha mediterrânea da Sardenha.

    Ter seu nome no topo da passagem da União Europeia (UE) do partido Forza Italia aumentará sua visibilidade e quase certamente garantirá sua eleição. Mas não há garantia de que, uma vez que ele tenha ganho um lugar, ele passará muito tempo em Bruxelas.

    Os líderes italianos muitas vezes se colocam à frente dos votos europeus apenas para se concentrarem na política interna depois da votação.

    Uma das maiores controvérsias políticas de Berlusconi começou no Parlamento Europeu em 2003, quando, na qualidade de primeiro-ministro, ele comparou um parlamentar alemão a um guarda de campo de concentração nazista.

    De olho em casa

    Berlusconi disse que queria se posicionar para combater o Movimento Cinco Estrelas, que formou um governo de coalizão com o tradicional aliado do empresário bilionário, a Liga.

    "Precisamos mudar esse governo, que inclui o Movimento Cinco Estrelas, liderado por pessoas que não têm experiência e são incompetentes", declarou.

    "A aliança (com a Liga) não é natural e não acho que vá durar muito", acrescentou.

    Berlusconi fez campanha para o Forza na eleição nacional de março passado, mas disse que sua incapacidade de se candidatar prejudicou suas chances e, pela primeira vez, o grupo ficou atrás da Liga, com 14% dos votos, para 17,35%.

    O bloco de centro-direita emergiu como vencedores em março passado, mas ficou aquém de uma maioria parlamentar aberta, abrindo o caminho para a Liga se separar de seus antigos aliados e entrar em uma coalizão com seu ex-inimigo, o Movimento Cinco Estrelas.

    Desde então, o Forza Itália caiu ainda mais, com as pesquisas mais recentes colocando-o em 8,2% contra 32,2% da Liga, que é dirigida por Matteo Salvini e saltou acima do Cinco Estrelas para se tornar o partido mais popular da Itália.

    Berlusconi foi primeiro-ministro quatro vezes em uma carreira política assolada por corrupção e escândalos sexuais.

    Ele diz que é vítima de magistrados de esquerda e tem desafiado constantemente seus muitos inimigos para superar contratempos legais e de saúde e retornar à política da linha de frente.

    Mais:

    Berlusconi chama Macron de 'rapaz bonito com uma mãe bonita'
    Berlusconi ataca envolvimento militar da Itália na Líbia
    WikiLeaks: NSA espionou Ban Ki-Moon, Berlusconi, Merkel e Sarkozy
    Tags:
    direita, populismo, política, Liga, Forza Italia, Movimento Cinco Estrelas, União Europeia, Matteo Salvini, Silvio Berlusconi, Europa, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar