01:15 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Nota de 1 dólar norte-americano

    Comércio mundial caminha para uma 'crise profunda' graças aos EUA, diz UE

    © Sputnik / Aleksei Suhorukov
    Europa
    URL curta
    131
    Nos siga no

    O embaixador da União Europeia (UE) na Organização Mundial do Comércio (OMC) atacou as tarifas dos Estados Unidos e sua política comercial protecionista. E ele foi além: chamou os EUA de "epicentro" da crise no sistema multilateral de comércio.

    "O sistema multilateral de comércio está em profunda crise e os EUA estão no epicentro", afirmou Marsh Vanheukelen na segunda-feira, ao discursar na reunião da OMC sobre o mercado de compras dos EUA, em particular através da legislação " Compre Americanos".

    Os EUA têm estado na vanguarda de culpar a OMC por contratempos, dizendo que trata Washington injustamente no comércio global e até mesmo ameaçando sair da organização. Em aparente resposta aos apelos do presidente dos EUA, Donald Trump, para reformar a OMC, Vanheukelen instou Washington a participar de conversas sobre propostas concretas.

    Enquanto vários casos contra o protecionismo dos EUA já se acumularam na OMC, acredita-se que a própria organização enfrenta uma crise institucional, conforme acordado pelos líderes do G20. Durante a cúpula na Argentina, as potências mundiais concordaram que a organização definitivamente precisa de mudanças e melhorias para continuar desempenhando um papel no sistema global de comércio.

    O representante da UE não foi o único a criticar as políticas de Washington durante o encontro, pois o Japão e a Suíça também criticaram os EUA por justificar suas tarifas de aço e alumínio usando a isenção de segurança nacional. O governo Trump bateu na UE com tarifas de 25% sobre o aço e 10% sobre as exportações de alumínio em junho, levando o bloco a reagir com medidas retaliatórias e a impor tarifas de importação de 25% sobre uma série de produtos americanos. O bloco também abriu processo judicial contra os EUA na OMC.

    Palavras mais acaloradas foram trocadas entre os EUA e a China, engajadas na própria linha de comércio. O enviado dos EUA, Dennis Shea, ecoou a posição de Trump sobre a OMC, acusando-a de ser incapaz de lidar com "o desafio fundamental colocado pela China" e não querendo atingir Pequim por "práticas de concorrência desleal".

    A declaração foi ridicularizada por seu colega chinês, Zhang Xiangchen, que disse que Washington está tentando "trazer de volta à vida o fantasma do unilateralismo que está adormecido há décadas".

    "Seja uma família pequena ou uma organização internacional, um cão de primeira linha deve agir como um cão de primeira linha", declarou Zhang, citado pela Agência Associated Press, em uma aparente referência aos EUA. "Não pode ver apenas um espectro estreito de seu próprio interesse, e certamente não deve fazer o que quiser com o sacrifício dos outros".

    Mais:

    Líderes do G20, incluindo Trump, concordam com reforma da OMC
    OMC: restrições no âmbito do G20 custaram US$ 480 bilhões ao comércio global em 2018
    Açúcar no centro da disputa: Brasil vai à OMC contra tarifas impostas pela China
    Tags:
    protecionismo, comércio, crise, economia, OMC, G20, União Europeia, Zhang Xiangchen, Dennis Shea, Marsh Vanheukelen, Donald Trump, Europa, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar