09:23 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Mesa durante o lanche oferecido pelo presidente Macron aos líderes mundiais, em Paris, em 11 de novembro de 2018

    Presidente russo qualifica de 'boa' sua conversa com Trump em Paris

    © Foto : Assessoria de imprensa da Presidência da Rússia
    Europa
    URL curta
    592

    Hoje (11), os dois líderes participaram dos eventos comemorativos do 100º aniversário do armistício na Primeira Guerra Mundial, que estão decorrendo em Paris. A esperada conversa entre os políticos aconteceu, mas, pelo visto, foi curta.

    Ao deixar o Palácio do Eliseu após o lanche oferecido pelo presidente Macron para os líderes mundiais, o líder russo respondeu que conseguiu falar com seu homólogo estadunidense, porém, não deu nenhuns detalhes, além de chamar a conversa de "boa".

    Entretanto, se esperava que a comunicação entre os dois presidentes fosse mais consistente. Uma das razões pelas quais acabou sendo breve teria sido a posição dos assentos durante o lanche oferecido pelo presidente Macron. Inicialmente, se pensava que os dois presidentes estariam sentados lado a lado, mas, no último momento, se soube que os políticos ficaram um de cada lado da mesa, ou seja, sem possibilidade de falar.

    "É verdade. O Palácio do Eliseu mudou a posição dos líderes à mesa antes do início do lanche. Na versão final, o presidente russo Vladimir Putin e norte-americano Donald Trump estavam sentados um em frente do outro e não tiveram oportunidade de falar em detalhe", disse à Sputnik uma fonte que faz parte da delegação russa.

    Porém, Trump e Putin disseram um ao outro "até breve" ao se despedirem, comunicou o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov. Planeja-se que eles se encontrem no fim do mês corrente em Buenos Aires, na cúpula do grupo G20, para ter um diálogo mais consistente às portas fechadas.

    Mais:

    Por que Rússia não precisa de novos mísseis para destruir EUA? Mídia explica
    Departamento de Estado: EUA vai impor novas sanções contra a Rússia pelo caso Skripal
    EUA se preparam para ataque cibernético à Rússia em caso de interferência nas eleições
    Tags:
    encontro bilateral, Emmanuel Macron, Donald Trump, Vladimir Putin, França, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik