11:52 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e o líder norte-americano, Donald Trump

    Erdogan diz a Trump que corte libertou o pastor dos EUA de forma independente

    © REUTERS / Asin Bulbul/Kevin Lamarque
    Europa
    URL curta
    611

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou neste sábado (13), dirigindo-se a seu colega norte-americano Donald Trump, que a decisão do tribunal turco de libertar o pastor Andrew Brunson era independente.

    O pastor, cidadão norte-americano, foi libertado na sexta-feira (12), um dia depois de notícias da mídia terem dito que os Estados Unidos e a Turquia teriam fechado um acordo secreto para que o pastor fosse libertado em troca de uma redução da pressão econômica sobre Ancara.

    Mais cedo neste sábado (13), Donald Trump afirmou não ter feito acordos com a Turquia para garantir a lideração de Brunson, mas elogiou a decisão de Ancara, afirmando que gostaria de agradecer Erdogan por sua ajuda.

    "Caro Presidente Trump, como sempre sublinhei, o tribunal turco tomou a sua decisão de forma independente. Espero que os Estados Unidos e a Turquia continuem a sua cooperação como aliados e que lutem em conjunto contra organizações terroristas, principalmente o FETO e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão. Partido [ambos considerados terroristas por Ancara] e do Estado Islâmico [grupo banido da Rússia]", conforme escreveu Erdogan no Twitter.

    ​Brunson foi detido há três anos devido a supostos laços com o clérigo Fethullah Gülen, acusado pela Turquia de tramar um golpe militar que acabou sendo frustrado em 2016. O pastor foi libertado da prisão em julho de 2018, sendo transferido para prisão domiciliar.

    Brunson foi autorizado a ser liberto na sexta-feira (12) depois que uma corte em Izmir decidiu que ele não precisava mais cumprir pena. Logo após a decisão, o pastor embarcou em um avião para os Estados Unidos.

    Mais:

    Turquia liberta pastor americano acusado de participação em golpe de 2016
    EUA: libertação de pastor seria 'passo importante' para melhorar relações com Turquia
    França pede compromisso das partes com acordo Turquia-Rússia sobre a Síria
    Automóvel avança contra multidão na Turquia
    Tags:
    relações diplomáticas, terrorismo, Partido dos Trabalhadores do Curdistão, Recep Tayyip Erdogan, Andrew Brunson, Donald Trump, Estados Unidos, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik