07:23 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Militares dos EUA participam da parada militar em comemoração da independência da Ucrânia

    Ucrânia receberá US$ 250 milhões dos EUA para 'combater agressão russa'

    © REUTERS / Gleb Garanich
    Europa
    URL curta
    834

    Um projeto de lei orçamentário, assinado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, prevê US$ 250 milhões (R$ 1 bilhão) para ajudar a Ucrânia, informou o serviço de imprensa da embaixada da Ucrânia nos Estados Unidos.

    Anteriormente, o serviço de imprensa da Casa Branca informou que Trump havia assinado um projeto de lei orçamentário estendendo o financiamento do trabalho do governo dos EUA até 7 de dezembro. O orçamento assinado inclui gastos com defesa, educação, programas sociais e de saúde.

    A alocação total para o ano fiscal de 2019, que começa em 1 de outubro, supera US$ 850 bilhões (R$ 3,4 trilhões), dos quais US$ 675 bilhões (R$ 2,7 trilhões) são destinados à defesa. O projeto de lei visa o financiamento dos militares dos EUA até 30 de setembro de 2019.

    "O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou anteriormente a 'Lei sobre alocações para as necessidades da Secretaria da Defesa para 2019', previamente aprovada pelo Congresso. Assim, a quantia de assistência ao nosso Estado para segurança e defesa enviada pelo Pentágono aumentou em US$ 50 milhões (R$ 202,3 milhões) em comparação com o orçamento de 2018", comunicou a embaixada em seu Facebook.

    Além disso, a embaixada acrescentou que a Ucrânia valoriza o crescente apoio do seu principal parceiro estratégico, os EUA, com o objetivo de "fortalecer a capacidade de defesa do Estado e combater agressão russa".

    Mais:

    'Sucata como presente': político comenta entrega de lanchas pelos EUA à Ucrânia
    Marinha da Ucrânia acusa Rússia de criar 'incidentes perigosos' (FOTOS)
    Chanceler ucraniano anunciou que existe um plano secreto da Ucrânia para mar de Azov
    Tags:
    defesa, lei, orçamento, Casa Branca, Pentágono, Congresso dos EUA, Donald Trump, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik