23:54 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Escombros da ponte Morandi, que desabou nesta terça-feira, 14, na cidade italiana de Gênova

    Governo italiano fará auditoria do operador da ponte que desmoronou em Gênova

    © AFP 2018/ Valery HACHE
    Europa
    URL curta
    0 10

    O ministério dos Transportes disse em um comunicado que a Autostrade per l'Italia, que opera a maior parte das rodovias de pedágio do país, está sendo pressionada para restaurar a ponte que desabou em Gênova.

    A empresa também foi instruída a reparar o viaduto em colapso "em um período limitado de tempo" e advertiu que, em caso de falha, seria considerado uma violação do contrato de concessão com as autoridades.

    Ponte destruida na cidade italiana de Gênova
    © REUTERS / Local Team via Reuters TV
    Uma comissão especial foi criada no início do dia para investigar o desastre de terça-feira, no qual uma seção de 80 metros da ponte desmoronou, levando consigo mais de 30 carros. Pelo menos 38 pessoas morreram e um número desconhecido está desaparecido.

    A ponte desmoronou durante uma tempestade na terça-feira por volta das 11 horas locais. Uma seção da ponte caiu de uma altura de 100 metros sobre armazéns, trilhos e um rio.

    O governo italiano, desde então, impôs um estado de emergência de um ano na região da Ligúria, onde a ponte está localizada, e alocou 5 milhões de euros para gerenciar as conseqüências do incidente.

    O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, culpou a empresa Autostrade per l'Italia na quarta-feira, dizendo que a concessão da empresa deveria ser revogada.

    O funeral de Estado das vítimas será realizado em Gênova no sábado. Nesse dia, luto nacional será declarado na Itália.

    Mais:

    Sobe para 31 número de vítimas de desabamento de ponte na Itália
    Incidente em Gênova: horrível tragédia da ponte levou a vida de 22 pessoas
    Putin se solidariza com vítimas de desmoronamento de ponte na Itália
    Ponte de estrada colapsa no norte da Itália; pode haver vítimas (FOTOS, VÍDEOS)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik