21:25 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin e Donald Trump se reúnem pela primeira vez na cúpula do G20

    OTAN teme ficar de lado após encontro entre Putin e Trump?

    © AP Photo / Evan Vucci
    Europa
    URL curta
    10142

    A OTAN está preocupada com possíveis acordos que o presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo dos EUA, Donald Trump, podem fechar durante seu encontro, contornando a aliança, afirmou em entrevista ao grupo de mídia alemão Funke, Peter Beyer, coordenador do governo da Alemanha para relações transatlânticas, citado pela Reuters.

    De acordo com ele, os representantes da aliança não participaram do planejamento do encontro entre os chefes da Rússia e dos EUA em Helsinque.

    Além disso, na aliança existem "grandes preocupações" quanto aos possíveis acordos que os líderes dos dois países podem fechar.

    Beyer adicionou que uma situação similar ocorreu antes do encontro de Trump com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em 12 de junho em Singapura. "Até agora, Kim Jong-un só fez promessas. Não sabemos se ele realmente parou o enriquecimento de urânio. Somente Trump declarou que a cúpula foi bem-sucedida", assinalou Beyer.

    Segundo ele, foi exatamente o encontro de Trump com o líder da Coreia do Norte que originou preocupações de que o presidente dos EUA pode permitir que Putin também "o engane".

    Os líderes dos dois países terão um encontro na capital da Finlândia em 16 de julho. Putin e Trump planejam discutir uma série de questões, entre elas a segurança nacional, as relações bilaterais e a agenda internacional.

    Trata-se do primeiro encontro entre os chefes da Rússia e dos EUA sem ser no âmbito de uma cúpula.

    Mais:

    Trump culpa aliados da OTAN por gastos insuficientes na defesa
    EUA dizem que França será seu parceiro número 1 se Londres não aumentar despesas na OTAN
    Para quem OTAN está perdendo sua supremacia aérea?
    Tags:
    medo, encontro, OTAN, Kim Jong-un, Vladimir Putin, Donald Trump, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik