02:49 23 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Manifestantes palestinos correm de gás lacrimogêneo disparado por tropas israelenses durante um protesto que marca o Dia de Al-Quds, (Dia de Jerusalém), na fronteira entre Israel e Gaza.

    Israel pede que contribuintes franceses deixem de enviar doações para a Faixa de Gaza

    © REUTERS / Mohammed Salem
    Europa
    URL curta
    636

    Durante visita à França, o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Ronen Manelis, pediu aos membros da Assembleia Nacional que não sejam "enganados pelo Hamas", considerada uma organização terrorista em Israel, EUA e UE.

    Segundo a autoridade, bilhões de shekels israelenses doados de países estrangeiros à Faixa de Gaza são “desviados para a construção de instalações terroristas” pelo Hamas, que governa o território.

    “Este é um grupo terrorista militarizado em todos os sentidos, com uma equipe geral, brigadas de combate, batalhões operacionais e planos de ataque contra Israel. Essa organização assassinou milhares de israelenses, norte-americanos, cidadãos franceses e britânicos em atentados a ônibus, ataques suicidas em shoppings e restaurantes, além de ataques com facas e assaltos”, disse ele aos parlamentares.

    Manelis criticou o Hamas chamando-o de "uma organização terrorista assassina que não pára em nada em seus esforços para atacar crianças, mulheres, civis inocentes, incluindo civis que vivem sob seu domínio". O porta-voz também enfatizou que o Hamas transformou a Faixa de Gaza "na capital do terror, da escuridão e do assassinato" e optou por não investir em seu próprio povo, o que levou a um aumento do desemprego e de outros problemas humanitários.

    “Os moradores de Gaza não são meus inimigos. O Hamas os tomou como reféns”, afirmou.

    Manelis também defendeu as ações das Forças de Defesa de Israel nos recentes confrontos na fronteira com a Faixa de Gaza, que deixaram mais de 100 palestinos mortos e milhares de feridos. As ações foram criticadas internacionalmente e o presidente da França, Emmanuel Macron, declarou sua "condenação de qualquer forma de violência contra civis e, em particular, em Gaza".

    Falando aos congressistas franceses, no entanto, o representante do Exército israelense enfatizou que os eventos em Gaza foram confundidos como "protestos".

    "Temos informações de inteligência inequívocas de que eles planejaram matar e sequestrar", disse aos parlamentares.

    Tags:
    Hamas, Forças de Defesa de Israel, Ronen Manelis, Emmanuel Macron, Palestina, França, Israel, Faixa de Gaza
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik