06:32 22 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Presidente francês, Emmanuel Macron, à esquerda, passa por detrás da Chanceler alemã, Angela Merkel, que se prepara para falar durante conferência de imprensa no encontro da União Europeia, em Bruxelas, na sexta-feira, 15 de dezembro, de 2017.

    Exército da União Europeia? Merkel apoia ideia de Macron e iniciativa ganha força

    © AP Photo / Geert Vanden Wijngaert
    Europa
    URL curta
    1286

    A decisão de Merkel de acenar positivamente ao projeto é de crucial importância, visto que a oposição alemã foi durante muito tempo o principal obstáculo à implementação do projeto.

    A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, expressou neste domingo (3) seu apoio ao plano do presidente francês de criar uma força militar europeia, com autoridade para intervir em locais de relevãncia em todo o mundo.

    "Sou a favor da proposta do presidente Macron para uma iniciativa de intervenção", disse Merkel ao jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung. "No entanto, tal força de intervenção com uma cultura militar-estratégica comum deve se encaixar na estrutura da cooperação de defesa", acrescentou.

    A decisão de Merkel é um avanço nas negociações, que já têm longa duração e em outros momentos foram prejudicadas pela abordagem cautelosa da Alemanha com a ideia.

    A força é um elemento crucial da reforma de Emmanuel Macron na área da defea, que visa promover uma integração mais estreita das capacidades de defesa europeias.

    Mais:

    Ministros italianos atacam Merkel e querem Alemanha fora da zona do euro
    Partido da direita alemã quer investigar Merkel sobre escândalo de refugiados
    Veja qual o significado do buquê que Putin entregou para Brigitte Macron e Angela Merkel
    Macron diz que Europa deve ter influência nos Bálcãs para deter a Rússia
    Trump diz a Macron que quer acordo 'amplo' sobre o Irã
    Tags:
    cooperação militar, Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, Angela Merkel, Alemanha, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik