19:12 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Jornalista Kirill Vyshinsky, diretor da sucursal da RIA Novosti na Ucrânia.

    Prisão de Kirill Vyshinsky na Ucrânia 'remete às ditaduras', diz jornalista brasileira

    © REUTERS / Stringer
    Europa
    URL curta
    Chefe do portal RIA Novosti Ucrânia é preso em Kiev (25)
    382

    A prisão do jornalista russo Kirill Vyshinsky na terça-feira (15), na Ucrânia, desencadeou reações de organizações de jornalistas ao redor do mundo. Nesta quinta-feira (17), Maria Carolina Trevisan, colunista de um dos portais brasileiros mais acessados, o UOL, falou à Sputnik Brasil em defesa da liberdade de imprensa.

    Para ela, o jornalismo é fundamental para uma sociedade moderna e a liberdade midiática em um país é um termômetro para se conhecer a profundidade da democracia de uma nação.

    "O fato de um jornalista ser preso sob acusação de atitudes 'subversivas' remete às ditaduras. A liberdade de imprensa deve ser preservada como um dos direitos mais fundamentais de uma sociedade, que precisa receber informação para poder formar opinião", afirma. 

    Ela ressalta que a crítica ao poder público é parte do ofício do profissional no jornalismo, cujo papel é de "fiscalizar o poder e acompanhar a implementação das políticas públicas". Com isso, o jornalista pode denunciar abusos e apontar saídas para a sociedade.

    "Quando esse exercício é ameaçado, a democracia também sofre. Por fim, quem perde é a sociedade, que fica refém de fontes controladas de informação e passa a ter uma percepção manipulada das políticas do país", aponta Maria Carolina Trevisan.

    A Sputnik Brasil também conversou na quarta-feira (16) com Maria José Braga, presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) sobre o caso. Ela condenou a prisão e exigiu "a imediata libertação do jornalista Kirill Vyshinsky".

    Quem também se pronunciou no mesmo dia foi a Federação Internacional dos Jornalistas (IFJ, na sigla em inglês), que publicou uma nota criticando as forças de segurança ucranianas pelo que apontam ser um ataque à liberdade de imprensa. 

    A organização, através de seu secretário-geral, publicou nota em seu site pedindo às autoridades ucranianas que "deixem os jornalistas trabalhar livremente".

    Mais cedo nesta quinta-feira (17) o tribunal ucraniano da cidade de Kherson colocou o jornalista sob custódia por 60 dias. O advogado de Kirill Vyshinsky afirmou que irá recorrer da decisão.

    Tema:
    Chefe do portal RIA Novosti Ucrânia é preso em Kiev (25)

    Mais:

    Embaixador da Rússia na OSCE exige liberdade de jornalista russo detido em Kiev
    Jornalista português: detenção de Vyshinsky na Ucrânia é tentativa de 'matar o mensageiro'
    Tribunal ucraniano coloca jornalista russo sob custódia por 60 dias
    Jornalista da agência de notícias RIA Novosti Ucrânia é detido em Kiev
    Tags:
    Kirill Vyshinky, liberdade de imprensa, UOL, Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), Federação Internacional de Jornalistas, Maria Carolina Trevisan, Kirill Vyshinsky, Maria José Braga, Kherson, Kiev, Ucrânia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik