16:32 21 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Manobras navais da Aliança Atlântica na Polônia e Países Bálticos BALTOPS

    EUA anunciam investimentos de mais de US$ 170 milhões contra 'ameaça russa' no Báltico

    © AP Photo / JANEK SKARZYNSKI
    Europa
    URL curta
    6115

    Os Estados Unidos fornecerão US$ 170 milhões em equipamentos militares para melhorar as capacidades defensivas de três países bálticos, incluindo a aquisição de munições de alto calibre, informou a Casa Branca em comunicado divulgado nesta terça-feira.

    "Os EUA planejam fornecer quase US$ 100 milhões em contratos para a compra de munição de alto calibre e mais de US$ 70 milhões em programas de treinamento e equipamento para o Báltico, a fim de fortalecer a capacidade dos exércitos nacionais ou das forças de segurança de cidadãos da Estônia, Letônia e Lituânia", disse o comunicado.

    O anúncio aconteceu após a reunião do presidente dos EUA, Donald Trump, com os presidentes Raimonds Vejonis, da Letônia, Kersti Kaljulaid, da Estônia, e Dalia Grybauskaite, da Lituânia.

    Além disso, os EUA se comprometeram a investir US$ 3 milhões nos três países bálticos para fortalecer a mídia independente e combater a "desinformação".

    "Os Estados Unidos comprometerão US$ 3 milhões para trabalhar com os três países bálticos para construir resiliência pública e institucional contra a desinformação, fortalecendo os meios de comunicação independentes, as emissoras de serviço público e as habilidades de alfabetização midiática na região", continuou a nota.

    Por fim, ficou acordado no encontro que mais de 5.000 soldados dos EUA participarão do exercício militar Ataque de Sabre deste ano na região báltica.

    "Mais de 5.000 soldados dos EUA se juntarão às forças multinacionais no Ataque de Sabre deste ano, o maior evento desse tipo na região do Báltico", disse o comunicado.

    A OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) organiza frequentemente exercícios militares nos territórios dos países bálticos.

    O objetivo dessas práticas é melhorar o planejamento e o controle das equipes e dos elementos de apoio militar no nível dos batalhões em várias operações táticas, bem como o fortalecimento da estabilidade e segurança regionais, juntamente com uma melhor interação das forças armadas dos países membros da OTAN e seus aliados.

    Os países bálticos pediram ajuda diante do que consideram ser uma ameaça da Rússia na região, sobretudo diante dos investimentos de Moscou em sua área militar e o recrudescimento da retórica do Kremlin.

    Mais:

    Antes tarde do que nunca: países bálticos resolvem participar da luta contra Daesh
    Militar aposentado: EUA querem deslocar centro de gravidade para Polônia e países bálticos
    Leste Europeu e países Bálticos podem dormir em paz durante exercícios russo-bielorrussos
    Tags:
    segurança, defesa, russofobia, ameaça, OTAN, Dalia Grybauskaite, Kersti Kaljulaid, Raimonds Vejonis, Donald Trump, Estônia, Letônia, Lituânia, Rússia, Estados Unidos, Países Bálticos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik