19:31 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Sergei Skripal, ex-coronel do serviço de inteligência militar da Rússia, durante uma audiência no tribunal do distrito militar de Moscou (foto de arquivo, 2006)

    Embaixador russo lamenta possível expulsão da Irlanda após caso Skripal

    © REUTERS / Kommersant/Yuri Senatorov
    Europa
    URL curta
    624

    A possível expulsão de diplomatas russos da Irlanda como retaliação ao suposto envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal na cidade de Salisbury, no Reino Unido, seria "uma ação hostil", disse o embaixador russo na Irlanda, Yuri Filatov, expressando que lamenta o fato de que alguns países estejam participando do que chamou de "guerra injusta".

    Na quinta-feira (22), o Conselho Europeu aliou-se a Londres ao alegar que a Rússia "muito provavelmente" estaria por trás do ataque ao ex-espião. 

    Os líderes da União Europeia (UE) concordaram em chamar de volta o embaixador da UE na Rússia, Markus Ederer, para consultas. Mais cedo nesta sexta-feira (23), o primeiro-ministro da Irlanda (Taoiseach), Leo Varadkar, disse que seu país consideraria a possibilidade de expulsar diplomatas russos que tenham conexão com o envenenamento de Skripal.

    "Toda vez que esse tipo de coisa acontece, certamente você poderia pensar que é, ao menos, uma ação hostil, o que já é certo. Minha preocupação é que, uma visão pessoal após o que foi discutido em Bruxelas, é que alguns países são levados, manipulados a combaterem a guerra injusta de outra pessoa, e isso é realmente lamentável", disse o embaixador a jornalistas em uma entrevista coletiva na embaixada russa em Dublin.

    Em 4 de março, o ex-oficial de inteligência russo Skripal, que também trabalhava para a inteligência britânica, foi encontrado junto com sua filha inconsciente em um banco em um shopping center na cidade de Salisbury.

    Especialistas britânicos acreditam que eles tenham sido atacados pelo agente nervoso A234. Os britânicos alegam que esta substância teria sido desenvolvida na União Soviética. A primeira-ministra britânica, Theresa May, acusou a Rússia de orquestrar o ataque e expulsou 23 diplomatas russos como medida punitiva.

    Já os russos negam fortemente as acusações e ofereceu assistência na investigação. No entanto, o pedido de Moscou de amostras da substância química usada para envenenar Skripal foi negado. Moscou também expulsou diplomatas do Reino Unido e ordenou que o British Council parasse suas atividades na Rússia em resposta à decisão britânica.

    Mais:

    Donald Tusk se recusa a parabenizar Putin pela reeleição por conta do caso Skripal
    Skripal: Alemanha e França pedem provas e rejeitam sanções do Reino Unido sobre a Rússia
    MRE russo permite possibilidade de Reino Unido dirigir 'caso Skripal'
    Diplomatas russos expulsos devido a caso Skripal deixam embaixada de Londres
    Gás nervoso no caso Skripal 'poderia ter sido produzido pelos próprios britânicos'
    Tags:
    tensão diplomática, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Rússia, União Europeia, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik