22:51 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras dos EUA e do Kosovo em Pristina, capital do Kosovo

    EUA poderão exigir que Kosovo seja aderido à ONU?

    © AP Photo / Visar Kryeziu
    Europa
    URL curta
    131

    Na terça-feira (13), o secretário-adjunto de Estado dos EUA para Assuntos Europeus e Eurasiáticos, Wess Mitchell, desembarca em Belgrado. Segundo a mídia sérvia, é possível que o diplomata estadunidense tenha consigo novo plano de entrada do Kosovo na ONU. Especialista sérvio comenta o que se pode esperar da visita de Mitchell.

    Comentando as especulações na mídia, Wess Mitchell afirmou que sua visita tem por objetivo principal manter o diálogo sobre a normalização das relações entre a Sérvia e República do Kosovo de reconhecimento limitado.

    O chanceler sérvio, Ivica Dacic, declarou anteriormente que a chegada de Mitchell é a primeira visita de um funcionário de alto escalão da nova administração dos EUA a Belgrado.

    Porém, segundo historiador e especialista em assuntos norte-americanos sérvio Sasha Adamovic, Mitchell não pode ser considerado verdadeiro membro da "administração Trump", pois pertence ao grupo de novos neoconservadores que tentam minar a normalização das relações entre Moscou e Washington, anunciada por Donald Trump.

    "Pelo que ele escreveu em seus dois livros sobre geopolítica, caracteriza-se por uma forte posição antirrussa. Ele considera a Rússia, tanto como a China e o Irã, como um dos principais inimigos geopolíticos na arena internacional", comentou à Sputnik Sérvia.

    Segundo Adamovic, em Belgrado Mitchell não vai falar em nome de Trump, mas sim em nome do Departamento de Estado e de seus funcionários responsáveis pela política externa. Entre estes, especifica, há muitos apoiadores do globalismo, que estão prontos para "sacrificar os interesses nacionais dos EUA pelos interesses dos centros globais de poder".

    Uma das opções que Mitchell pode propor a Belgrado é entrada do Kosovo em organizações internacionais, mas esta é absolutamente inaceitável para a Sérvia.

    "Acredito que os EUA devem desistir da política de pressão e chantagem em relação à Sérvia, enquanto que a Sérvia deve seguir uma política externa mais ativa, tomando uma posição mais clara quanto a suas prioridades. Uma destas deve ser a inadmissão de adesão do Kosovo a organizações internacionais, em primeiro lugar à ONU", opinou.

    O interlocutor da Sputnik acredita que apenas assim e juntamente com aliados externos, como a Rússia e a China, Belgrado pode fazer com que o governo estadunidense mude sua política em relação à Sérvia e proponha uma solução melhor para o problema ao redor do Kosovo.

    Mais:

    ONU: mulheres são mais exploradas no campo do que nas cidades
    Após crítica da ONU, Justiça Global comenta intervenção no Rio: 'Possibilidade de chacina'
    ONU denuncia crise humanitária em conflito no Leste da Ucrânia
    Tags:
    pressão, organização internacional, adesão, Departamento de Estado, ONU, Donald Trump, Kosovo, Sérvia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik