10:49 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU, na sigla ucraniana)

    Ucrânia não ficou com Crimeia devido à 'traição total' por parte dos agentes de segurança?

    © AP Photo / STF
    Europa
    URL curta
    781

    Kiev não lançou uma "operação antiterrorista" em fevereiro-março de 2014 na Crimeia porque 90% dos efetivos do Serviço de Segurança ucraniano (SBU) "traíram" a Ucrânia.

    "O SBU não apresentou a proposta de realizar uma operação antiterrorista. Posso explicar por que eles não a apresentaram. Porque, de todos os efetivos do SBU, falo de dados oficiais que estão no processo da Promotoria Militar, 90% traíram. Com tal traição total não havia ninguém do SBU que pudesse realizar uma operação antiterrorista na Crimeia", declarou ao canal 112 Ukraina o secretário do Conselho de Defesa e Segurança Nacional ucraniano, Aleksandr Turchinov.

    Mais cedo Turchinov, respondendo aos advogados do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovich, havia afirmado que Kiev não declarou guerra à Rússia por esta possuir armas nucleares.

    A península da Crimeia se reintegrou na Rússia após um referendo realizado em março de 2014. Na sequência da votação, 96,77% dos eleitores da República da Crimeia e 95,6% dos residentes da cidade de Sevastopol se manifestaram pela reunificação com a Rússia. O pleito teve lugar após o golpe de Estado na Ucrânia.

    Mais:

    EUA acusam Rússia de orquestrar ciberataque contra a Ucrânia
    Abandonados por todos: por que Ucrânia desistiu de seus navios na Crimeia?
    Deputado ucraniano conta como Kiev poderia 'ter salvo' Crimeia em 2014
    Deputado da Crimeia acredita que Kiev 'recebeu uma injeção de coragem' dos EUA
    Tags:
    operação militar, Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), Viktor Yanukovich, Aleksandr Turchinov, Crimeia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik