11:34 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Efetivos americanos desfilam durante a cerimônia oficial de encerramento dos exercícios multinacionais da OTAN Noble Partner 2017, na Geórgia

    Marechal britânico: Rússia pode deixar OTAN sem Internet

    © AFP 2018 / Vano Shlamov
    Europa
    URL curta
    17324

    Rússia pode ameaçar a segurança dos cabos de águas profundas que ligam a Europa aos EUA e que são necessários para garantir a conexão à Internet e o comércio internacional.

    Isso foi declarado pelo chefe do Estado-Maior General do Reino Unido e futuro chefe do Comitê Militar da OTAN, marechal Stuart Peach, durante o discurso no Instituto Real dos Serviços Unidos (RUSI, na sigla em inglês).

    Segundo ele, o Reino Unido e seus aliados da OTAN devem prestar primordial atenção à proteção das comunicações contra a Rússia que continua a modernizar a sua frota, incluindo os submarinos atômicos e não atômicos, bem como os meios de conduzir guerras não tradicionais.

    "Surgiu uma nova ameaça para a nossa prosperidade e estilo de vida, para os cabos atravessando o fundo marinho, das falhas no funcionamento que, devido à quebra ou efeitos destrutivos […] podem perturbar o comércio internacional, bem como a Internet", declarou ele.

    Por esta razão, a OTAN deve desenvolver as suas próprias forças marítimas para não ficar para trás da Rússia que está modernizando sua frota, acha Peach.

    Ele notou que o Reino Unido, que desempenha um "papel de líder" na OTAN, precisa introduzir inovações e aumentar o poder de combate o mais depressa possível porque a Rússia "está mostrando sua força militar" e o seu "apetite para assegurar os interesses nacionais" que representam uma séria ameaça. "Isso deve ser feito durante alguns meses, mas não anos", disse o marechal britânico.

    Os representantes ocidentais várias vezes acusavam Moscou de apresentar uma ameaça alegada aos países da OTAN. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, respondeu que não faz sentido ter medo da Rússia, notando que as suas ações são somente uma reação às iniciativas da Aliança, em particular à instalação dos sistemas antimísseis norte-americanos perto das fronteiras russas.

    Mais:

    Diplomata: Rússia está disposta a dialogar com OTAN caso esta deixe suas ambições de lado
    Quais serão os principais quebra-cabeças para EUA em 2018? Próprio país revela
    Opinião: exército dos EUA não tem capacidades para conter principais adversários
    Tags:
    sistemas de defesa aérea, ameaça, forças armadas, frota, OTAN, Vladimir Putin
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik