09:14 22 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldado da OTAN durante manobras Silver Arrow 2017 na Letônia, 29 de outubro de 2017

    Presidente da Bielorrússia sobre atividade da OTAN: presenciamos 'frente a frente'

    © REUTERS/ Ints Kalnins
    Europa
    URL curta
    101493173

    Bielorrússia e Rússia presenciam "frente a frente" ativação da OTAN perto de suas fronteiras, declarou o presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko em reunião com o governador da região russa de Kaliningrado, Anton Alikhanov.

    Além do mais, Lukashenko salientou que não divide a Rússia e a Bielorrússia "por fronteiras", comunicou a Sputnik Bielorrússia.

    "Espero que continuemos desenvolvendo nossas relações como pessoas ligadas, pois fazemos parte da mesma Pátria. Não dividimos a Rússia e Bielorrússia por fronteiras, mas tentamos construir algo comum, chamado de União da Rússia e Bielorrússia", notou o líder bielorrusso.

    "O que se passa na fronteira com a Bielorrússia é reflexo exato da fronteira com Kaliningrado. Presenciamos cara a cara, frente a frente, ativação da OTAN", declarou ele.

    "Não posso dizer que eles nos amam muito, não amam vocês, nem nos amam, nem amam a Rússia ou a Bielorrússia", adicionou o presidente.

    O presidente salientou que bielorrussos e russos não têm com quem contar, apenas um com o outro, e assegurou que a Rússia sempre poderá contar com a Bielorrússia.

    Alikhanov, que pela primeira vez assume o cargo de governador de Kaliningrado, em resposta agradeceu o presidente pela recepção e notou que na Bielorrússia vivem irmãos da Rússia. A cooperação entre Minsk e a região de Kaliningrado, para ele, é, em primeiro lugar, no setor agrário. Mas há perspectivas em muitas outras esferas também.

    Mais:

    Escudo do Báltico e novo comando: OTAN indica caminhos contra 'ameaça russa'
    Ucrânia afirma que tropas russas ficaram na Bielorrússia depois dos treinamentos
    Linha vermelha: como os EUA planejam 'reprimir a agressão da Rússia'
    Tags:
    tensões, conflito, fronteira, atividades militares, OTAN, Aleksandr Lukashenko
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik