19:41 19 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados ucranianos gritam de um lançador de granadas antitanque SPG-9 na região de Donetsk

    Autoridades de Donetsk: ucranianos estão preparando 'bombardeios provocativos' em Donbass

    © AFP 2017/ Aleksei Chernyshev
    Europa
    URL curta
    375811

    Militares ucranianos estão preparando "bombardeios provocativos", declarou o vice-comandante operacional de Donetsk, Eduard Basurin, na quinta-feira (5).

    "Nossas fontes dos órgãos militares ucranianos informaram que o comando das Forças Armadas da Ucrânia planeja realizar bombardeios provocativos e operações de combate para desestabilizar a situação na chamada zona da operação antiterrorista com participação das forças especiais e da mídia controlada [pelo governo ucraniano]", comunicou Basurin.

    Segundo o vice-comandante operacional, a provocação estaria sendo organizada para "motivar os deputados da Suprema Rada [parlamento ucraniano] a tomar decisão sobre a lei de reintegração de Donbass".

    Na véspera, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, introduziu o projeto de lei sobre reintegração de Donbass no parlamento. O próprio presidente considera o documento como o urgente. O novo documento qualifica a Rússia como "país agressor".

    Além disso, outro projeto introduzido de lei para aprovação do parlamento prevê prolongar o estatuto especial de Donbass para o ano seguinte.

    As autoproclamas Repúblicas de Donetsk e Lugansk, por sua vez, declararam que o projeto de lei sobre reintegração de Donbass contradiz os Acordos de Minsk.

    Em resposta às acusações infundadas por parte da Ucrânia, o porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, afirmou que "dada a posição de que a Rússia é alegadamente uma agressora, é claro, quase não há espaço para manobra. Porque essa posição é absolutamente contrária ao estado real das coisas".

    De acordo com ele, a "Rússia não faz parte deste conflito", e sim, assim como outros países, uma garantidora da implementação de documentos básicos, nos quais todo o processo de pacificação está baseado e continuará sendo baseado no futuro, os chamados acordos de Minsk.

    Mais:

    Por que material militar da OTAN está posicionado perto de Donetsk?
    Armas letais dos EUA não ajudarão Kiev a 'ganhar guerra', acredita Donetsk
    Donetsk acusa Ucrânia de usar drones equipados com munições de fragmentação
    Para Donetsk, ajuda militar norte-americana incentivará agressão de Kiev em Donbass
    Tags:
    militares, projeto de lei, provocação, exército, parlamento, ataques, reintegração, Suprema Rada, Eduard Basurin, Pyotr Poroshenko, Dmitry Peskov, República Popular de Lugansk, República Popular de Donetsk, Donbass, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik