02:33 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Serviço de emergência se posiciona fora da Manchester Arena após relatos de uma explosão no local durante um show de Ariana Grande

    Crime de ódio: médico muçulmano é esfaqueado perto de Manchester

    © AP Photo/ Peter Byrne
    Europa
    URL curta
    555

    Um cirurgião muçulmano que socorreu várias vítimas do ataque terrorista realizado em Manchester, na Inglaterra, no mês de maio, foi vítima de uma facada no pescoço. O caso está sendo tratado como um crime de ódio.

    Nasser Kurdy, um cidadão sírio-jordaniano de 58 anos, pai de três filhos, foi atacado quando entrava em uma mesquita de Cheshire na tarde do último domingo. Apesar do susto e do risco, o ferimento não chegou a ser grave.

    "Deus foi piedoso comigo ontem. Poderia ter sido um nervo, uma artéria, uma veia, o esôfago. O pescoço é o contato entre o corpo e a cabeça. Mas, felizmente, foi apenas o músculo", afirmou a vítima, citada pelo Independent.

    Kurdy afirmou ter perdoado o seu agressor, identificado como Ian Anthony Rock, de 28 anos. Ele foi acusado de agressão e posse de arma letal. 

    De acordo com estatísticas da Polícia da Grande Manchester, o mês após o ataque de 22 de maio, ocorrido durante um show da cantora americana Ariana Grande, registrou um aumento de 505% no número de incidentes islamofóbicos, chegando a 224 casos. 

    Mais:

    Polícia britânica prende mais um suspeito de realizar atentado de Manchester
    Explosões e mortes são registradas em show de Ariana Grande em Manchester (VÍDEOS)
    Tags:
    facada, faca, islamofobia, Reino Unido, Cheshire, Inglaterra, Manchester
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik