03:47 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Angela Merkel, chanceler da Alemanha

    Partido de Merkel leva quarto mandato, mas registra pior resultado desde 1949

    © AP Photo/ Markus Schreiber
    Europa
    URL curta
    1336940

    Como esperado, a União Democrata Cristã (CDU, na sigla em alemão), agremiação da atual chanceler Angela Merkel, ganhou as eleições deste domingo (24) na Alemanha.

    Ainda assim, com 33% dos votos, é o pior resultado eleitoral da CDU desde 1949, segundo o jornal The Guardian.

    Merkel superou os 20,5% do Partido Social-Democrata (SPD), antigo membro da coalizão de Merkel e que resolveu romper a aliança e apresentar Martin Schulz como candidato. É o pior resultado do SPD desde o pós-guerra.

    A eleição deste domingo também foi marcada pela ascensão do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), com 12,6% do eleitorado. Criado em 2013 e com um duro discurso de oposição à política de refugiados estabelecida por Merkel, o AfD entrará pela primeira vez no Bundestag, o Parlamento alemão.

    "Este é um grande dia para a história do nosso partido político, nós vamos entrar no Parlamento pela primeira vez e vamos mudar este país", disse Alexander Gauland, do AfD.

    Ele também afirmou que irá "caçar" Merkel por sua política migratória. "Recuperaremos o nosso país e o nosso povo", afirmou Gauland durante discurso na sede do partido em Berlim.

    A quarta força no Parlamento serão os liberais-democratas, com 10,5% dos votos.

    Mais:

    Ex-chanceler da Áustria felicita Merkel por vitória na Alemanha
    Partido de Angela Merkel vence eleições parlamentares na Alemanha, aponta projeção
    Ocidente em pânico com Zapad 2017: Alemanha viu 100 mil soldados onde não havia
    EUA negam a venda de armas soviéticas para a oposição síria através de bases na Alemanha
    Washington Post está preocupado com não intervenção da Rússia nas eleições na Alemanha
    Rússia e Alemanha precisam uma da outra, diz chanceler alemão
    Tags:
    Angela Merkel, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik