11:14 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Militares dos EUA participam da parada militar em comemoração da independência da Ucrânia

    Especialista sobre parada em Kiev: Pentágono realizou inspeção ao exército ucraniano

    © REUTERS/ Gleb Garanich
    Europa
    URL curta
    619

    Da parada militar do Dia da Independência da Ucrânia participaram soldados de países membros da OTAN. O cientista político Yuri Svetlov disse que essa parada é uma espécie de relatório militar da Ucrânia apresentado à OTAN.

    Em 24 de agosto, a Ucrânia celebrou o 26º aniversário da independência. Em Kiev foi realizada uma parada militar onde participaram militares de países membros da OTAN. Ministros da Defesa dos países ocidentais, inclusive o chefe do Pentágono James Mattis, assistiram à parada.

    Os representantes dos exércitos de países da OTAN, tais como os EUA, Reino Unido, Canadá, Polônia e Lituânia, e da Geórgia, que planeja aderir à OTAN, desfilaram pela rua central de Kiev, Kreschatik.

    O cientista político russo Yuri Svetlov disse ao serviço russo da rádio Sputnik que essa parada foi uma espécie de relatório militar da Ucrânia perante a OTAN.

    "É uma espécie de inspeção ao exército ucraniano organizada pelo secretário da Defesa dos EUA. Junto com ele está o representante oficial dos EUA na Ucrânia, Kurt Volker. Recordo que as atuais autoridades ucranianas apostaram, durante as eleições norte-americanas, na vitória de Hillary Clinton […] Agora Kiev tenta estabelecer relações com a administração de Trump. Por isso, não é por acaso que James Mattis assiste à parada, enquanto o senador John McCain exige mais uma vez que se comece fornecendo armas letais à Ucrânia. Mais do que isso, a parada é continuação da tendência persistente para uma adesão da Ucrânia à OTAN. É por isso que na parada, pela primeira vez, participaram militares de países da Aliança e da Geórgia, que, tal como a Ucrânia, quer aderir à OTAN. A parada foi realizada sem a participação de material militar pesado, mas foi organizada uma exposição desse material e foi anunciado que depois da parada as armas pesadas seriam enviadas para a zona da chamada operação antiterrorista [a Donbass]", explicou Svetlov.

    Mais do que isso, o cientista político sublinhou que o hino do exército ucraniano é uma nova versão da marcha da Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN).

    Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia (foto de arquivo)
    © Foto: Serviço de imprensa do presidente da Ucrânia
    "Da parada tomou parte uma orquestra muito grande composta por mais de 500 pessoas e pela primeira vez foi tocado o hino do exército ucraniano, que, como dizia a mídia ucraniana, foi usado pela Organização dos Nacionalistas Ucranianos (OUN, na sigla em ucraniano) e por seu braço militar, o Exército Insurgente Ucraniano (UPA). Qual será a reação dos poloneses? Por um lado, os políticos poloneses dizem que a Ucrânia com Bandera não aderirá à UE. Por outro lado, eles apoiam a ideia de cooperação entre a Ucrânia e OTAN. Por isso, em minha opinião, os militares poloneses rangeram os dentes e fingiram que não ouviram nada", acrescentou o especialista.

    Mais:

    Poroshenko: operação militar em Donbass continuará até reintegração legislativa a Kiev
    Yandex fecha escritórios em Kiev e Odessa
    Tags:
    parada militar, OUN, UPA, Pentágono, OTAN, John McCain, James Mattis, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik