07:14 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldado sul-coreano passa por uma TV que transmite uma reportagem a respeito do teste com mísseis da Coreia do Norte. Dia 7 de junho de 2017

    Ucrânia encontra 'mão de Moscou' na publicação do artigo do NYT sobre Coreia do Norte

    © REUTERS/ Kim Hong-Ji
    Europa
    URL curta
    1661

    Yuri Radchenko, o presidente interino da Agência Espacial Nacional da Ucrânia, acredita que a publicação do New York Times, em que Kiev é acusada da entrega de tecnologias à Coreia do Norte, foi instigada pela Rússia.

    "Acho que existe uma probabilidade alta que esta declaração da imprensa possa ter sido instigada pelos nossos ‘amigos’ da Rússia. Isso acontece porque eles têm interesse em estragar a imagem do nosso país, que por sua vez anuncia suas ambições naqueles projetos [do espaço] em que participamos", disse Radchenko.

    Contudo, de acordo com ele, a Agência não vai processar o jornal, porque os EUA são um "parceiro estratégico da Ucrânia nos programas espaciais".

    "Eu acredito que [a reputação] não será prejudicada, porque a reputação da Ucrânia é baseada naquelas inovações que o país incorporadas nos projetos internacionais. Os especialistas avaliam o caso corretamente, isso é apenas um exagero. Quer dizer, é uma tentativa de diminuir a nosso ranking", acrescentou Radchenko.

    Anteriormente, o jornal norte-americano New York Times, citando análises secretas dos serviços de inteligência dos EUA e a investigação do especialista do centro analítico International Institute for Strategic Studies (IISS), Michael Elleman, comunicou que a Coreia do Norte pode ter recebido equipamento para mísseis balísticos produzidos pela fábrica ucraniana Yuzhmash.

    Na Ucrânia afirmaram que a publicação do New York Times não tem fundamento, e o IISS afirmou que Elleman não falou sobre a entrega de tecnologias da Yuzhmash a Pyongyang.

    O secretário do Conselho da Segurança e Defesa do país, Aleksandr Turchinov, chamou o artigo de "provocação dos serviços russos". A Yuzhmash também afirmou não ter nenhuma relação com os programas de mísseis norte-coreanos. Além do mais, o construtor-geral do gabinete de projetos Yuzhnoe, Aleksandr Degtyarev, expressou a opinião que algum país possa ter copiado as tecnologias ucranianas.

    Mais:

    Opinião: construção de centro da Marinha dos EUA na Ucrânia é um crime político
    Quanto custa à Ucrânia o bloqueio de Donbass?
    Ucrânia rompe acordo com Rússia sobre exportações militares
    Tags:
    mísseis balísticos, motores, The New York Times, EUA, Rússia, Ucrânia, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik