23:44 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Na foto: um grupo de sistemas de artilharia Acacia que fazem parte do exército ucraniano

    Poroshenko revela como potencial militar ucraniano foi reforçado nos últimos anos

    © Sputnik/ Mikhail Palinchak
    Europa
    URL curta
    11141744

    Ao longo dos últimos três anos, desde que começou a operação militar na região de Donbass, o exército ucraniano recebeu cerca de 16 mil unidades de equipamentos militares das empresas pertencentes ao consórcio Ukroboronoprom, afirmou o presidente do país, Pyotr Poroshenko.

    "O exército ucraniano foi reforçado com cerca de 16 mil equipamentos militares e armamentos graças ao consórcio estatal Ukroboronprom", disse Poroshenko na sua página do Facebook neste sábado (12).

    De acordo com o site da corporação, estes equipamentos foram entregues ao exército do país entre julho de 2014 e julho de 2017. O consórcio especifica que as empresas que integra forneceram 15.903 unidades de armas aos militares ucranianos.

    Tanque ucraniano T-64 durante a Parada militar em homenagem do Dia da Independência da Ucrânia (foto de arquivo)
    © Sputnik/ Assessoria de imprensa do presidente da Ucrânia
    Entre estas unidades, 5.281 foram novas ou modernizadas, 7.164 foram reparadas ou restauradas, além de 3.458 peças de reserva, blocos e instalações.

    Segundo o site, a maior parte dos equipamentos tem a ver com armas de artilharia, bem como mísseis e munições (1.061 e 2.613, respectivamente).

    Ademais, os militares receberam 1.277 sistemas de radares novos ou modernizados, inclusive de luta radioeletrônica ou de comunicações, 295 blindados e 35 armamentos e equipamentos aeronáuticos.

    Mais:

    EUA começam construção de centro naval na Ucrânia entre rumores sobre entrega de armas
    Ucrânia crê que Rússia e Bielorrússia pressionam a OTAN com suas manobras
    Opinião: há chances de EUA estarem fornecendo armas para Ucrânia clandestinamente
    Tags:
    armamentos, tanques, Ukroboronprom, Pyotr Poroshenko, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik