05:10 25 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1756
    Nos siga no

    O conselheiro de Segurança Nacional do presidente americano, general Herbert McMaster comentou o fornecimento de armas letais a Kiev. O cientista político Ivan Meziukho opinou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que Washington estaria disposto a enviar armas antitanque de alta tecnologia ao exército ucraniano.

    A Casa Branca está interessada em aumentar a capacidade de defesa de Kiev. O conselheiro de Segurança Nacional do presidente americano, Herbert McMaster comentou informações sobre o pedido de Washington a Donald Trump para entregar lançadores portáteis de mísseis antitanque Javelin.

    Em entrevista ao canal MSNBC, McMaster confirmou que os EUA já estão prestando apoio a Kiev.

    "Tudo depende da forma de ajuda que necessita a Ucrânia, que corresponda aos nossos interesses e esteja alinhada à vontade comum de fazer com que a Rússia não desestabilize mais a situação", salientou.

    Anteriormente, o canal de televisão NBC News havia informado, referindo-se a altos funcionários anônimos, que o Departamento de Defesa dos EUA teria recomendado que a Casa Branca fornecesse à Ucrânia modelos do lançador de mísseis antitanque portátil Javelin, que vale cerca de 50 milhões de dólares (R$ 156 milhões) a unidade. 

    Na opinião do cientista político Ivan Meziukho, o fornecimento de armas letais à Ucrânia já está praticamente decidido.

    "Creio que na luz das novas sanções antirrussas, impostas por Washington, a questão da entrega de armas dos EUA a Kiev, inclusive de armas letais, pode ser considerada quase decidida. A propósito, não se pode excluir a hipótese de que Washington já estaria fornecendo armas ao exército ucraniano clandestinamente, pelo menos essa informação já está circulando na mídia. Nos EUA, há um lobby pró-armas muito forte, portanto eu não descartaria as possibilidades de entrega de armas – de forma oficial – à Ucrânia. Os EUA não fazem parte do "quarteto da Normandia", embora estejam exercendo forte influência sobre as autoridades ucranianas. Nesse contexto, na opinião de Washington e Kiev, eles têm a liberdade de concluir quaisquer acordos bilaterais na área de defesa. Claro que as potenciais entregas de armas à Ucrânia contradizem os acordos de Minsk, 'pisoteando' e violando-os. Mas Kiev não pretende cumprir esses acordos", concluiu Ivan Meziukho.

    Mais:

    No Dia da Independência da Ucrânia, soldados da OTAN desfilarão pela rua principal de Kiev
    Moscou: envio de armas dos EUA à Ucrânia provocaria mais ações militares
    Tags:
    fornecimento, armas letais, Javelin, Quarteto da Normandia, Herbert McMaster, Rússia, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar