09:07 17 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Hacker

    Reino Unido quer que empresas virtuais aumentem monitoramento em busca de terroristas

    © Foto: Pixabay
    Europa
    URL curta
    410

    O secretário do Interior do Reino Unido, Amber Rudd, convidou as maiores empresas de Internet do mundo para uma reunião nesta terça. O objetivo é aumentar o monitoramento da atividade on-line visando abordar o conteúdo do extremismo em suas plataformas.

    No mesmo dia, o Fórum Mundial de Internet Para o Combate ao Terrorismo em San Francisco deve reunir representantes de empresas de internet, governos e ONGs para discutir as questões relacionadas à luta contra o terrorismo.

    "Terroristas e extremistas têm procurado abusar de suas plataformas para espalhar suas mensagens odiosas… Este Fórum é uma maneira crucial de começar a virar o jogo. A responsabilidade de combater esta ameaça em todos os níveis está com os governos e com a indústria. Temos um interesse compartilhado: Queremos proteger nossos cidadãos e manter a internet gratuita e aberta que todos amamos", diz Rudd no evento, citado pelo Sky News.

    O secretário deve focar as atenções em em serviços de mensagens criptografadas, que poderiam ser usados ​​por terroristas.

    Nos últimos anos, diversos países de todo o mundo foram atingidos por numerosos ataques terroristas, inclusive em cidades europeias como Paris, Bruxelas, Nice, Londres e São Petersburgo. No contexto do aumento da ameaça, as nações têm vindo a esforçar-se para intensificar os seus esforços de contra-terrorismo, por exemplo através de atividades contra o extremismo na Internet.

    Mais:

    Temer e Putin assinam declaração sobre maior cooperação na luta contra o terrorismo
    Rússia e Vietnã assinam acordo de cooperação na luta contra o terrorismo
    Wikileaks: Washington sabia que Qatar e Arábia Saudita apoiam terrorismo
    Tags:
    Fórum Mundial de Internet Para o Combate ao Terrorismo, Sky News, Amber Rudd, Reino Unido, São Petersburgo, Nice, Paris, Bruxelas, San Francisco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik