10:49 25 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Nesta foto de 4 de maio de 2017, uma imagem mostrando Papa Francisco é vista na vitrine de uma loja que vende estátuas da Nossa Senhora de Fátima na cidade portuguesa de Fátima

    Portugal pode reduzir proteção noturna das suas fronteiras

    © AP Photo / Armando Franca
    Europa
    URL curta
    432

    Os inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) de Portugal decidiram parar a greve às horas extra durante o período da visita do papa Francisco a Fátima, que começa amanhã (9).

    De acordo com o Diário de Notícias, que cita um comunicado que deverá ser difundido mais tarde nesta segunda-feira, os inspetores aceitam a importância de "garantir que estejam disponíveis os meios necessários para assegurar a normalidade da circulação das fronteiras nacionais, importantíssima componente da segurança interna".

    Porém, os autores do documento insistem que há "enorme falta" de efectivos para a proteção das fronteiras do país.

    A greve às horas extraordinárias foi declarada em 1 de junho de 2013 tendo por causa a "gravíssima falta de inspetores do SEF, os quais não registraram qualquer ingresso entre 2004 e 2017".

    No entanto, o Jornal Económico informa sobre uma eventual iniciativa do governo português, encabeçado por António Costa, que prevê que os centros de cooperação policial e aduaneira (CCPA) entre Portugal e Espanha funcionem apenas nas horas laborais, isto é, das 9h às 17h.

    A visita do Papa Francisco a Portugal terá medidas de segurança reforçadas. Entre outras, a cidade de Fátima testará uma medida de prevenção de atentados terroristas inédita, com instalação de blocos de cimento nas ruas para evitar atropelamentos em massa.

     

    Tags:
    SEF, Papa Francisco, Fátima, Portugal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar