00:19 18 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Подготовка к открытию Петербургского экономического форума

    Censura? Jornalista da Sputnik é impedida de acompanhar discurso da vitória de Macron

    © Sputnik / Igor Russak
    Europa
    URL curta
    Macron: 'Novo Napoleão' da França (14)
    13110

    Uma jornalista da agência de notícias Sputnik foi impedida de entrar na praça em frente ao Museu do Louvre, em Paris, onde Emmanuel Macron e os seus apoiadores comemoraram a vitória na corrida presidencial francesa.

    Um vídeo publicado pela agência no Facebook mostra quando os organizadores pedem a credencial para a jornalista. Ela explica que não conseguiu credenciamento, mesmo tendo feito a solicitação.

    “É porque nós somos da Sputnik?”, ela perguntou, mas os organizadores se recusaram a responder e se negaram a comentar.

    Um total de 1.800 repórteres foram credenciados pela equipe de Macron. Mais cedo, a equipe da candidata Marine Le Pen se negou a credenciar jornalistas de pelo menos 15 veículos de imprensa, incluindo o Buzzfeed, o Charlie Hebdo, e o site norte-americano Politico. “Falta de espaço” foi apontada como justificativa.

    Prisão

    Além disso, uma correspondente da rede de televisão RT foi detida neste domingo pela polícia francesa em Paris enquanto cobria os protestos na capital francesa.

    “Nossa correspondente em Paris Charlotte Dubenskij foi detida pela polícia durante os protestos. Soubemos disso através do seu Twitter e por um SMS enviado por ela a um dos seus colegas. Agora ela está inacessível”, revelou um apresentador.

    As manifestações durante o domingo aconteceram na região de Menilmontant, em Paris, logo após o primeiro resultado preliminar das eleições francesas.

    Tema:
    Macron: 'Novo Napoleão' da França (14)

    Mais:

    Sputnik e RT vão processar o candidato francês, Emmanuel Macron
    Em festa de Macron, RT e Sputnik não são bem-vindos
    OTAN volta a denunciar 'propaganda' da Sputnik e RT, desta vez contra Alemanha
    Tags:
    eleições francesas, censura, Emmanuel Macron, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik