03:51 22 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Marine Le Pen, candidata presidencial francesa

    Le Pen quer restabelecer o franco em dois anos caso seja eleita

    © AFP 2018/ Charly Triballeau
    Europa
    URL curta
    7101

    A candidata da Frente Nacional, Marine Le Pen, prometeu reestabelecer o franco como moeda nacional da França dentro de dois anos caso seja eleita.

    A presidenciável de direta classificou o Euro, moeda oficial da União Europeia, de "peso morto" para a economia francesa e disse que uma moeda nacional protegeria os recursos dos franceses. Para ela, o "establishment" quer amedrontar os eleitores.

    Le Pen ainda afirmou que começaria as negociações sobre reformas na União Europeia logo após o fim das eleições, no que ela classifica como uma maneira da França "recuperar sua soberania". As conversas envolveriam o abandono do Euro, a possibilidade de definir as políticas de imigração e a legislação local sem interferência da Bruxelas.

    A candidata da Frente Nacional defende que a França realize um plebiscito para decidir se o país deve se manter ou abandonar a União Europeia.

    Perguntada sobre o que diria para a chanceler alemã Angela Merkel, afirmou: "A França agora defenderá os interesses da França". As informações foram concedidas em uma entrevista à Agência Reuters.

    O segundo turno que decidirá o próximo mandatário francês acontecerá no domingo, dia 7 de maio. Le Pen busca reverter os cerca de 20 pontos percentuais de vantagem que as pesquisas de opinião projetam para o candidato Emmanuel Macron.

    Mais:

    Hollande promete votar em Macron e diz que Le Pen 'representa risco' para a França
    Por que provável vitória de Macron na França já põe pressão sobre Merkel
    Macron é líder no 1º turno das eleições na França e decidirá presidência com Le Pen
    Le Pen: 'Se eu for eleita e a França não sair da zona do euro, renuncio imediatamente'
    Tags:
    eleições na França, Emmanuel Macron, Marine Le Pen, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik