11:37 25 Julho 2017
Ouvir Rádio
    WikiLeaks

    Alemanha sonda vazamento de documentos para a WikiLeaks

    © AFP 2017/ THOMAS COEX
    Europa
    URL curta
    256306

    O Ministério Público de Berlim está realizando uma investigação sobre o vazamento de documentos confidenciais do governo sobre cooperação de agências de espionagem entre a Alemanha e os EUA, publicada pela organização WikiLeaks em dezembro de 2016, disse o porta-voz Martin Steltner a Sputnik na sexta-feira.

    Na quinta-feira, a emissora NDR informou que o Ministério Público de Berlim estava investigando os funcionários alemães do Parlamento Federal (Bundestag) sobre o vazamento de dezembro, pois eles tinham acesso à maior parte dos documentos vazados. A emissora observou que o gabinete do chanceler autorizava a mudança do Ministério Público.

    "A investigação não foi concluída", disse Steltner sem especificar o conteúdo da investigação.

    Steltner observou que o Ministério Público tinha poderes específicos para autorizar revisões desse tipo quando existe suspeita de crime. A revisão não resultará necessariamente na construção de um caso legal, acrescentou Steltner.

    Em 1 de dezembro de 2016, a WikiLeaks divulgou 90 GB de informações que faziam parte de um inquérito parlamentar alemão sobre as operações de vigilância da agência de inteligência alemã Bundesnachrichtendienst (BND) e sua cooperação com a Agência Nacional de Segurança dos EUA.

    Mais:

    Caça a informadores do WikiLeaks: a CIA tem traidores?
    'Eu não falo com Assange': Snowden nega ter qualquer ligação com WikiLeaks
    'Inteligência russa não teve contato com o Wikileaks', conclui FBI
    Analista sobre recentes revelações do WikiLeaks: 'Não há dúvidas que alguém nos escuta'
    Tags:
    Agência Nacional de Segurança (NSA), Bundestag, Parlamento Federal da Alemanha, Bundesnachrichtendienst, Ministério Público, Ministério Público de Berlim, WikiLeaks, Martin Steltner, Berlim, Estados Unidos, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik