07:19 28 Abril 2017
Ouvir Rádio
    A polícia francesa patrulha a avenida Champs-Elysées em Paris após ataque terrorista do Daesh (sexta-feira, 21 de abril de 2017)

    Nota de apoio ao Daesh é encontrada no corpo de terrorista de Paris

    © AP Photo/ Christophe Ena
    Europa
    URL curta
    367202

    A Polícia parece ter encontrado uma prova da conexão entre o atirador morto ontem no centro de Paris e o Daesh (autodenominado Estado Islâmico, proibido na Rússia e em vários outros países). Uma nota de apoio ao jihadistas foi encontrada junto ao corpo do homem, que tinha 39 anos.

    Ontem, o Daesh rapidamente reivindicou a responsabilidade pelo ataque, concedendo um nome de guerra ao atirador, indicando que ele tinha ligações na Bélgica e saudando-o como um "lutador do Estado Islâmico".

    Para as autoridades parisienses, a velocidade entre reivindicação e o fato sugere que ele estava em contato com o grupo e informou militantes de seu plano com antecedência. Nomes de guerra foram usados ​​anteriormente pelo Daesh para identificar os jihadistas que realizaram os ataques de Paris e Bruxelas, ambos coordenados com comandantes na Síria.

    Através de revistas extremistas internas, o grupo também já tinha orientado combatentes a deixar cartas ou provas de apoio quando da realização de um ataque.

    A identidade do atacante foi confirmada como sendo Karim Cheurfi, que já tinha sido preso por declarar a um amigo a vontade de "matar policiais em retaliação ao que estava acontecendo na Síria". Cheurfi era acompanhado desde 2016 por risco de radicalização e foi morto ontem logo após os ataques.

    Mais:

    Hollande declarou que o ataque contra policiais em Paris foi um atentado terrorista
    Homem que se entregou à polícia não está envolvido no ataque de Paris
    Tags:
    Daesh, Estado Islâmico, Karim Cheurfi, Bruxelas, Bélgica, Síria, França, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik