11:29 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Antigo presidente dos EUA Bill Clinton perto da estátua dele próprio em Pristina, Kosovo, 1 de novembro de 2009

    EUA e OTAN podem tirar reconhecimento internacional do Kosovo?

    © AP Photo / Visar Kryeziu
    Europa
    URL curta
    372
    Nos siga no

    A OTAN e os EUA alertaram o Kosovo contra os seus planos de transformar a sua força de segurança num exército regular. A Aliança e Washington prometeram frustrar a cooperação com o Kosovo se o país criar o exército sem uma mudança constitucional.

    Ele alertou que, caso o Kosovo avance com a transformação, "a OTAN terá de rever seu nível de comprometimento, particularmente em termos de capacitação".

    A embaixada dos EUA no Kosovo emitiu uma declaração semelhante, dizendo que "a adoção da lei atual nos forçaria a reavaliar nossa cooperação bilateral com a ajuda de longa data às forças de segurança do Kosovo".

    "Apoiamos a transformação gradual e transparente da Força de Segurança do Kosovo numa força multiétnica em conformidade com as normas da OTAN, mas esta transformação deve ser feita de acordo com a Constituição do Kosovo e através de um processo político inclusivo e representativo que reflita a democracia multiétnica do Kosovo", acrescentou a embaixada dos EUA.

    A OTAN atacou a Sérvia em 1999 para ajudar a insurgência da etnia albanesa no Kosovo. A Resolução 1244 do Conselho de Segurança da ONU permitiu a ocupação militar da OTAN pela província, mas reafirmou a soberania sérvia. A província separatista declarou unilateralmente a independência em 2008, com o apoio dos EUA, da OTAN e de outras potências ocidentais.

    O presidente do Kosovo, Hashim Thaci, que liderou a insurgência de 1999, disse estar determinado a prosseguir com o plano, acrescentando que "não há volta".

    "A KSF será transformada em um exército do Kosovo", disse Thaci à "Free Europe" financiada pelo governo dos EUA. "Os Balcãs Ocidentais estão ameaçados das bases militares russas na Sérvia, dos jatos MIG da Rússia na Sérvia e dos exercícios militares russos na Sérvia''.

    Recepção

    O primeiro-ministro sérvio, Aleksandar Vucic, agradeceu à OTAN por sua posição sobre o assunto em uma conversa telefônica com Stoltenberg, informou a rádio-televisão da Sérvia (RTS). Vucic acrescentou que esperava ajuda e apoio da UE, dos EUA e da Rússia sobre o movimento do Kosovo, o que violaria a constituição escrita da ONU e a resolução 1244 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, definindo a província como parte da Sérvia.

    Qualquer alteração constitucional só pode ser feita no Kosovo se as minorias étnicas no seu parlamento votarem a seu favor. Thaci acredita que os sérvios étnicos nunca votarão pelo estabelecimento de um exército.

    A força de segurança ligeiramente armada de Kosovo, formada em 2009, tem agora em torno de 4.000 forças de reserva regulares e 2.500 treinadas e supervisionadas pela OTAN. O KSF não possui armas pesadas, como tanques ou artilharia pesada.

    O plano de Thaci implica aumentar as forças regulares até 5.000 e reservistas para 3.000. Não há planos para a saída de cerca de 4.500 tropas internacionais lideradas pela OTAN, parte de uma missão implantada no Kosovo desde 1999.

    Mais:

    União Europeia estende o mandato de sua missão no Kosovo
    Rússia não apoia entrada do Kosovo na UEFA, mas reconhece aprovação
    Oposição sérvia quer aplicar cenário da Crimeia ao Kosovo
    Tags:
    RTS, Conselho de Segurança da ONU, OTAN, Força de Segurança do Kosovo (KSF), Aleksandar Vucic, Hashim Thaci, Balcãs, Sérvia, Rússia, Estados Unidos, Washington, Kosovo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar