02:35 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Marine Le Pen após o anúncio dos resultados do segundo turno das eleições regionais

    Candidata da extrema direita, Marine Le Pen lança campanha na França

    © Sputnik/ Kristina Afanasieva
    Europa
    URL curta
    1781761

    Muitas vezes comparada a Donald Trump nos posicionamentos políticos, Le Pen assumiu 144 compromissos firmados pela sua campanha baseados no conceito "made in France". Ela defende "um país com suas próprias fronteiras para guardar, sua própria moeda para gastar, sua própria defesa e identidade inalterada por imigrantes, refugiados e globalização".

    Durante a conferência de dois dias do partido dela, a Frente Nacional, a política saudou o Brexit e a eleição de Donald Trump dizendo que "o mundo está tomando consciência" dos valores que ela advoga há anos. Ela também denunciou os problemas das fronteiras abertas, dizendo que os imigrantes têm tomado os postos de trabalho dos franceses, aumentado o risco de terrorismo e a criminalidade no país, além de "tirar a identidade da França".

    "A sobrevivência da França está em jogo. É a primeira vez que estamos tão próximos do objetivo", disse o líder do partido, Jean-Lin Lacapelle, na abertura da conferência, citando pesquisas que mostram Le Pen em primeiro lugar na preferência dos eleitores no primeiro turno.

    Le Pen prometeu não aderir ao comando integrado da OTAN, a abolir a utilização do euro ou a abertura das fronteiras para membros da União Europeia.

    Ela defende a convocação de um "Frexit", um referendo que, à exemplo do Reino Unido, também tiraria a França do bloco.

    Mais:

    NYT avalia chances de Marine Le Pen repetir triunfo de Trump
    Marine Le Pen: 'É necessário cooperar com Rússia para fortalecer a Europa'
    França: Pesquisa prevê segundo turno só com a direita e vitória de Fillon sobre Le Pen
    Tags:
    Frexit, Brexit, Frente Nacional, União Europeia, OTAN, Jean-Lin Lacapelle, Donald Trump, Marine Le Pen, Reino Unido, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik