22:22 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Escoceses pedem independência da Grã-Bretanha, após o anúncio dos resultados do referendo sobre o Brexit, Glasgow, Escócia, 30 de julho de 2016

    Premiê: Escócia não será arrastada à força para fora da Comunidade Econômica Europeia

    © AFP 2017/ Andy Buchanan
    Europa
    URL curta
    210

    A Escócia deve poder se autodeterminar, se o governo da Grã-Bretanha optar por uma saída brusca e sem compromissos da UE, disse nesta terça-feira a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon.

    Ao contrário da Grã-Bretanha como um todo, a Escócia, no referendo de 23 de junho do ano passado, votou pela permanência do país na União Europeia. Desde então, o país se manifestou em todas as ocasiões possíveis pela manutenção dos laços econômicos com o bloco regional.

    A premiê britânica, Theresa May, realizou um longo discurso sobre o Brexit, no qual anunciou que além da União Europeia, a Grã-Bretanha também estará deixando a Comunidade Econômica Europeia e a União Aduaneira da UE.

    "A Escócia deve ter a possibilidade de determinar o seu futuro, já que todos os compromissos estão sendo rompidos", destacou Sturgeon, ao comentar as declarações de May.

    Ela afirmou que a Escócia não pode ser arrastada, contra a própria vontade, para fora do mercado comum e disse que estudará todas as opções possíveis a serem empreendidas pelo seu país.

    Mais:

    Mídia: Premiê britânica promete 'Brexit duro'
    Escócia estuda a possibilidade de sair da Grã-Bretanha depois do Brexit
    Novo referendo sobre a independência da Escócia é possível
    Tags:
    Brexit, Comunidade Econômica Europeia, Nicola Sturgeon, Theresa May, Escócia, Grã-Bretanha, UE
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik