10:07 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Novas instalações portuárias para a ferrovia que liga a China à Europa foram inauguradas no porto do mar Negro de Ilyichevsk no distrito de Odessa, Ucrânia, 15 de janeiro de 2016

    Ucrânia mudará nomes de portos e ferrovias que 'lembram ocupação'

    © AP Photo/ Sergei Poliakov
    Europa
    URL curta
    702

    O ministro da Infraestrutura da Ucrânia, Vladimir Omelyan, mandou mudar os nomes de portos marítimos e infraestruturas ferroviárias.

    No documento, publicado na sua página oficial do Facebook, é ordenado colocar os componentes da infraestrutura de transportes em concordância com a lei sobre "descomunização".

    "Espero que as direções da Ukrzaliznitsa (Ferrovias Ucranianas), portos marítimos e empresas estatais tenham a coragem de pôr fim às recordações da ocupação da Ucrânia", escreve o ministro.

    É ordenado dar outros nomes aos portos marítimos de Ilyichevsk, Yuzhny e Oktyabrsk, bem como às ferrovias do Sul e do Sudoeste que, na verdade, não estão localizadas no sul, mas no norte e no centro do país.

    Segundo as palavras do ministro, é necessário mudar os nomes dessas infraestruturas para "eliminar tudo o que tem como objetivo impor aos ucranianos a opinião que eles são da mesma origem que os representantes de horda" e que eles "são imbecis e escravos como os moscovitas".

    Omelyan afirmou que "nós não aceitamos a Rússia de Putin, não vamos aceitar contos sobre ‘relações fraternais e de boa vizinhança'. A fronteira entre a Ucrânia e a Rússia não deve ser somente uma fronteira entre dois países, deve ser o limite entre a civilização do Ocidente e os bárbaros do Oriente".

    O ministro acrescentou que "Putin não representa um problema. Mesmo que o bando do KGB (inteligência soviética) abandone o trono de Moscou, a essência das relações russo-ucranianas não mudará".

    Omelyan opina que o elemento crucial da modernização são as reformas bem-sucedidas na Ucrânia.

    Desde maio de 2015, na Ucrânia entrou em vigor a lei "sobre condenação dos regimes comunista e nazista" que proíbe a propaganda da simbologia soviética. Foi proposto que, em particular, sejam mudados os nomes das cidades e ruas nomeadas em honra de personalidades soviéticas.

    Durante a descomunização na Ucrânia, mais de um milhar de estátuas de Lenin foram desmanteladas e mais de 50 mil nomes de ruas foram mudados. Em Carcóvia, seis estações de metrô também receberam outros nomes. Além disso, o Ministério de Educação e Ciência da Ucrânia mandou as direções das universidades mudar os nomes dos estabelecimentos de ensino que tenham nomes "comunistas".

    Mais:

    Antigo primeiro-ministro da Ucrânia pode formar governo no exílio
    Deputado ucraniano: exército da Ucrânia realizará seu desfile no centro de Moscou
    Ucrânia realiza de novo treinamentos militares perto da Crimeia
    Por que Ucrânia testa seus mísseis perto da Crimeia?
    Tags:
    lei, relações bilaterais, fronteira, cidades, portos, infraestrutura, nomes, mudanças, ocupação, KGB, Vladimir Putin, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik