07:44 21 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Marine Le Pen, a líder do partido político francês de Frente Nacional falando sobre os resultados das eleições dos EUA em Nanterre, França, 9 de novembro de 2016

    'OTAN não deve ameaçar a Rússia: Guerra Fria acabou há muito tempo!'

    © REUTERS / Charles Platiau
    Europa
    URL curta
    39181

    A eleição de Donald Trump para o cargo de presidente dos Estados Unidos e o enfraquecimento do dogma pró-europeu são fatos que poderão contribuir para melhoria das relações com a Rússia, disse em entrevista à RIA Novosti a candidata à presidência da França e chefe do partido Frente Nacional, Marine Le Pen.

    "Do ponto de vista da situação internacional, a chegada ao poder de Donald Trump e o enfraquecimento do dogma pró-europeu, ou seja, o fim da superioridade da Alemanha no continente europeu, devem ajudar muito no estabelecimento de relações mais construtivas e equilibradas com a Rússia, em particular, sobre a questão do conflito sírio, mas também sobre todas as tensões já existentes", disse a candidata à presidência da França.

    Ao comentar as suas expectativas da diplomacia francesa caso ganhe as eleições, Le Pen acredita que "estamos nos movendo em direção a um mundo multipolar e mais equilibrado".

    "Esta, certamente, será uma tarefa que colocarei na frente da diplomacia francesa, caso eu seja eleita presidente da França", acrescentou a candidata.

    "Parece-me importantíssimo que a diplomacia francesa retome sua independência. Historicamente, a França sempre buscou fazer parte de um coro, onde ela assumisse papel importante. Eu sei que muitos países estão esperando o momento, quando a França encontrará sua voz individual, como na época do governo do general Charles de Gaulle. Precisamos deixar de nos submeter aos EUA, a quem obedecemos cegamente", disse Le Pen.

    A candidata não concordou com a decisão do ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, de voltar a fazer parte da OTAN.

    "Devemos pensar até onde é saudável para a França fazer parte deste sistema, mas, antes de tudo, precisamos entender quais são os planos de Donald Trump para a aliança. Em qualquer caso, para mim é óbvio que a OTAN não deve de forma alguma ameaçar a Rússia: a Guerra Fria acabou faz tempo", frisou Le Pen.

    Mais:

    OTAN: 'Estamos alarmados com recurso excessivo a exercícios inesperados pela Rússia'
    Caças da OTAN continuam voos de treino sobre a Estônia
    Representante dos EUA na OTAN: 'Não acredito que a Rússia planeje atacar a Aliança'
    Carl Icahn escolhido por Trump para ser assessor especial em reforma regulatória
    Quais são as prioridades de Trump na área da defesa? Rússia fica fora da lista
    Tags:
    partido, candidata, presidente, relações, RIA Novosti, Frente Nacional, OTAN, Charles de Gaulle, Donald Trump, Nicolas Sarkozy, Marine Le Pen, EUA, França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar