17:42 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Visto de Schengen europeu

    UE chega a acordo que garante isenção de vistos a 50 milhões de ucranianos e georgianos

    © Sputnik / Sergei Kirkach
    Europa
    URL curta
    322

    Responsáveis oficiais comunicaram que na quinta-feira (8) foi firmado um acordo entre a Comissão Europeia, o Conselho Europeu e o Parlamento Europeu para pôr cobro à disputa interna europeia que entravava a realização das medidas prometidas.

    As negociações desta madrugada, que envolveram os países membros da UE e o Parlamento Europeu, resultaram em um compromisso em relação ao mecanismo que será usado para suspender o regime de isenção de vistos em situações de emergência. O acordo deve ser aprovado por todos os Estados membros e pelo Parlamento Europeu.

    O deputado do Parlamento Europeu Agustin Diaz de Mera afirmou que "a aprovação do documento facilitará a análise imediata de dois pedidos de liberalização de vistos, um georgiano e outro da Ucrânia".

    Entretanto, o acordo permite que as exigências para a emissão de vistos sejam reintroduzidas caso haja um aumento drástico de migrantes ilegais dos países que não fazem parte da União Europeia, nomeadamente da Geórgia e Ucrânia.

    "Este acordo é equilibrado e é extremamente importante, tanto para sua eficiência como para a credibilidade da política de liberalização de vistos da União", afirmou o ministro do Interior eslovaco, Robert Kalinak.

    "O atual mecanismo de isenção não é apropriado e será melhorado", acrescentou.

    Após a crise de refugiados do ano passado, os governos europeus têm estado cada vez mais preocupados com a reação pública aos protestos dos partidos anti-imigração contra a iniciativa de facilitar a entrada na Europa de 45 milhões de ucranianos e 5 milhões de georgianos.

    Permitir-lhes viajar para a zona Schengen europeia sem pedir vistos com antecedência foi uma iniciativa crucial para as pessoas que estão aceitando as duras reformas governamentais de Kiev e Tbilisi visando estreitar laços com a União.

    Mais cedo nesta semana, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse que a União Europeia estava colocando seu prestígio e credibilidade em causa ao deixar suas disputas internas estagnarem as negociações sobre o regime de vistos com a Ucrânia e a Geórgia.

    Em uma carta enviada ao presidente do Parlamento Europeu e divulgada pela agência Reuters, ele apelou aos legisladores para que busquem um compromisso com governos nacionais com o objetivo de desbloquear a liberalização de vistos.

    Em um comunicado de imprensa divulgado hoje (8), o Conselho Europeu especificou que as medidas não se aplicariam à Irlanda e ao Reino Unido.

    Mais:

    Obama e líderes da UE irão discutir prorrogação das sanções contra Rússia
    Estado-Maior da Ucrânia: Rússia é capaz de 'atacar de todos os lados'
    Tags:
    integração regional, regime de vistos, Schengen, consenso, acordo, negociações, Parlamento Europeu, Conselho Europeu, Comissão Europeia, Donald Tusk, Geórgia, Europa, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik