03:46 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    A bandeira russa na Vila Olímpica no Rio de Janeiro

    Equipe paralímpica russa não é autorizada a participar nos Jogos Olímpicos

    © Sputnik/ Alexey Filippov
    Esportes
    URL curta
    Olimpíada no Brasil sem atletas russos? (31)
    21497114

    Equipe paralímpica russa não é autorizada a participar nos Jogos Olímpicos, afirmou o chefe do Comitê Paralímpico Internacional (CPI).

    Segundo Philip Craven, chefe do CPI, os atletas não conseguiram provar a sua posição.

    Ele adicionou que o sistema antidopagem está quebrado, corrompido e completamente comprometido.

    O Comitê Paralímpico da Rússia perdeu todos os privilégios de membro do Comitê Paralímpico Internacional.

    "Esta situação não tem a ver com atletas trapaceiros, mas de um sistema estatal que trapaceia", destacou o presidente do CPI.

    O relatório McLaren, publicado em 18 de julho pela Agência Mundial Anti-Doping (WADA), revelou um esquema estatal de doping na Rússia. No relatório fala-se de 35 amostras desaparecidas no esporte paralímpico entre 2012 e 2015.

    Além disso, o CPI não exclui a revisão dos resultados dos Jogos Paralímpicos de Sochi de 2014, já que a investigação contra a Rússia continua.

    "Agora os atletas perderam o direito de participar do evento mais importante da sua vida. Esta decisão foi tomada para dar as mesmas chances a todos os atletas. Não podemos ignorar também os sentimentos dos atletas que participaram dos Jogos em Sochi. Quando descobrimos o sistema de substituição das amostres, muitos começaram a interessar-se se os resultados seriam revisados. A nossa mensagem é: tenham paciência, a investigação continua", afirmou Todd Nicholson, presidente do Conselho de Esportistas do CPI.

    Tema:
    Olimpíada no Brasil sem atletas russos? (31)

    Mais:

    Atleta paralímpica pretende recorrer à eutanásia após Rio 2016
    COI decide rever sistema global de antidoping após Rio 2016
    Tags:
    Rio 2016, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik