20:00 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    A presidente da República, Dilma Rousseff e o Presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman participam de cerimônia para divulgar o modelo da Tocha Olímpica

    Rio 2016 passa por revisão orçamentária

    CHARLES SHOLL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
    Esportes
    URL curta
    0 16111

    Numa tentativa de não estourar seu orçamento e precisar recorrer ao governo federal para evitar um rombo em suas contas, o Comitê organizador Rio 2016 está passando por nova revisão de seus custos para a Olimpíada.

    A entidade, que trabalha com um orçamento de R$ 7,4 bilhões, solicitou a todos os seus departamentos que revejam os gastos e promovam alguns cortes.

    Responsável pela operação dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o comitê trabalha com recursos exclusivamente privados. Quando a cidade ganhou o direito de sediar os Jogos, porém, foi estabelecido que um eventual déficit seria bancado pelo governo federal — até o teto de US$ 700 milhões (R$ 2,7 bilhões).

    "Estamos revendo todos os gastos para termos a certeza de que eles batam os R$ 7,4 bilhões", confirmou o Comitê Rio 2016, segundo a Agência Estado. "Trabalhamos com um orçamento equilibrado. O comitê não precisa dar lucro, mas também não pretende ter prejuízo. Não queremos utilizar dinheiro público."

    Segundo a entidade, os cortes previstos não trarão nenhum tipo de prejuízo à operação do evento. Como exemplo, foi citada a diminuição na impressão de materiais ou mesmo a eliminação de divisórias internas em estruturas temporárias.

    Em julho, o presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, já havia confirmado que a entidade passava por readequação em suas contas.

    "É uma dinâmica que o comitê tem para poder ter equilibradas as suas finanças. Há necessidade em algumas áreas de aumento de recursos, e há outras em que um equacionamento tem que ser feito. E é isso que está sendo feito desde que nós ganhamos e será assim até os Jogos", afirmou Nuzman, durante os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá.

    Mais:

    Rio 2016: Nuzman promete teste viral na Baía de Guanabara
    Rio 2016 será também o palco da Cidade Cultural Olímpica
    Rio 2016: Relatório de agência americana serve a interesses de equipes estrangeiras
    Rio 2016: federação de remo cobra testes virais em locais de provas olímpicas
    Tags:
    esporte, revisão, orçamento, Jogos Olímpicos, Olimpíadas, Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik