05:50 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    182
    Nos siga no

    O governo federal disse nesta terça-feira (29) que cerca de 5,7 milhões de beneficiários do auxílio emergencial vão deixar de receber as quatro parcelas chamadas de "residuais", que variam entre R$ 300 a R$ 600.

    A estimativa foi repassada pelo secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio José Barreto.

    "Cerca de 5,7 milhões de pessoas é a nossa estimativa ao final, até 31 de dezembro. Seriam pessoas que deixariam de receber o auxílio extensão por evolução, vamos dizer assim, do processo e do aprendizado que tivemos em relação a essa política pública", disse.

    Segundo informações publicadas pelo portal G1, a redução no número de beneficiários é motivada pelas regras mais restritas para a nova fase do auxílio emergencial.

    As restrições retiram do auxílio, por exemplo, pessoas que declararam patrimônio superior a R$ 300 mil no Imposto de Renda 2019 ou que possuem rendimentos acima de valores estabelecidos pelo governo.

    "Patrimônio passou a ser um conceito que não tinha dentro da legislação anterior. A pessoa com patrimônio no Imposto de Renda acima de R$ 300 mil não fazia sentido, ela não era o público alvo para receber esse dinheiro", comentou Barreto.

    Apesar da redução no número de beneficiários, 27 milhões de pessoas vão continuar recebendo as quatro parcelas da prorrogação do auxílio. O número corresponde a 56,25% do total de beneficiários que receberam o auxílio até o mês passado.

    Mais:

    Como a redução do pagamento dos R$ 600 pode impactar a economia brasileira?
    Após queda recorde do PIB, Bolsonaro anuncia auxílio emergencial de R$ 300 até o fim do ano
    Após erro do governo, quase 1 milhão fica sem auxílio emergencial ou Bolsa Família, diz mídia
    Entre brasileiros mais pobres, auxílio emergencial fez renda subir 132%
    Tags:
    benefícios, programas sociais, programa, auxílio, economia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar