09:16 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    1241
    Nos siga no

    Segundo especialistas, a situação atual se parece à dos anos 1984 e 2002, quando uma mudança na política monetária da Reserva Federal dos EUA conduziu a uma diminuição no fluxo de investimentos estrangeiros.

    A fortaleza do dólar pode chegar a seu fim em breve, e os anos de uma alta taxa de câmbio da moeda norte-americana podem ser substituídos por um período de baixas cotações, informa Bloomberg.

    Segundo especialistas consultados pela Bloomberg, a situação atual se parece com a vivida nos anos 1984 e 2002. Nestes anos, uma mudança drástica da política monetária da Reserva Federal dos EUA provocara fortes impactos no fluxo de investimentos estrangeiros e enfraquecimento desta divisa.

    "O dólar tem sido sobrevalorizado durante muito tempo, e isto poderia finalmente ser um catalisador para uma tendência descendente de vários anos", comentou à agência Jack McIntyre, da Brandywine Global Investment Management.

    "Como temos visto antes, quando as valorizações aumentaram, um choque político ou econômico pode alterar rapidamente a trajetória da moeda [dos EUA] e isso é o que parece estar ocorrendo graças ao balanço inchado da Reserva Federal, ao aumento da dívida e à forma como manejamos a pandemia", acrescentou.

    Contudo, os especialistas enfatizaram que neste momento é prematuro falar do colapso do dólar como principal moeda de reserva mundial, já que a moeda ainda representa mais de 60% das reservas globais e é a mais usada em transações entre diferentes países.

    "Há uma diferença entre um retrocesso do dólar e um colapso completo", salientou Liz Young, funcionária da BNY Mellon Investment Management. "Isto é um retrocesso. É um pouco extremo pensar que o dólar vai perder seu papel de reserva no curto prazo", concluiu.

    O dólar se encontra em uma trajetória descendente relativamente constante durante aproximadamente cinco meses e o índice Bloomberg do dólar, que caiu em seis das últimas sete sessões de negociações, está próximo de 10% abaixo do seu pico de março.

    "Os ciclos do dólar são longos e persistentes, e agora estamos no extremo superior das valorizações", analisou Guillermo Felices, chefe de pesquisa e estratégia da BNP Paribas Asset Management, que prevê um retrocesso do dólar durante alguns anos.

    Por sua parte, a Reserva Federal se comprometeu a manter as taxas próximas a zero nos próximos anos, enquanto os funcionários do banco central dos EUA buscam mitigar as consequências econômicas causadas pela pandemia.

    Porém, seus esforços têm como obstáculo o fracasso dos EUA no controle do coronavírus, afirmam os especialistas.

    Mais:

    Domínio do dólar americano nos mercados globais está chegando ao fim?
    Ouro registra preço mais alto em 7 anos após Reserva Federal prever recuo da economia dos EUA
    Abertura econômica pode beneficiar o Brasil na recuperação pós-pandemia, diz economista
    Tags:
    Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos, Bloomberg, Estados Unidos, Dólar, análise, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar