09:17 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    2111
    Nos siga no

    O preço do ouro se aproximou de seu máximo histórico, atingido há nove anos, enquanto as tensões políticas e preocupações em torno do crescimento econômico mundial motivaram investidores a buscar refúgios.

    Nesta quinta-feira (23), o preço spot do ouro subiu 0,4%, até se situar em US$ 1.894,82 (R$ 9.843) por onça em Londres. Posteriormente, continuou crescente até os US$ 1.898,34 (R$ 9.861), se aproximando desta forma do recorde de US$ 1.921,17 (R$ 9.985) alcançado em setembro de 2011.

    Faltando pouco mais de US$ 2 mil (R$ 10,4 mil) para alcançar um novo máximo, alguns contratos futuros de ouro passaram a serem comercializados na bolsa com valores ainda mais altos.

    Imagem de ouro
    Imagem de ouro

    Por exemplo, aqueles que preveem o fornecimento em dezembro de 2020 foram contabilizados ao nível de US$ 1.927,10 (R$ 9.985) por onça, ultrapassando o recorde de há nove anos.

    Contudo, este não é o limite para o metal precioso. A suíça UBS elevou seu prognóstico a curto prazo, salientando que seu preço pode atingir US$ 2 mil (R$ 10,4 mil) no final de setembro deste ano.

    "Quando as taxas de juros são zero ou quase zero, o ouro passa a ser um meio atrativo porque não é necessário se preocupar por não obter lucro, e considero que seu preço aumentará à medida que cresça a incerteza nos mercados", enfatizou à Bloomberg Mark Mobius, cofundador da Mobius Capital Partners.

    Os crescentes sinais de que a pandemia continua impedindo a recuperação econômica e a recente escalada de tensões entre EUA e China tornam o ouro mais atrativo.

    Além do mais, os investidores esperam que os reguladores fiscais de muitos países adotem mais medidas monetárias, enquanto o destino da recuperação econômica continua incerto.

    Jake Klein, presidente executivo da Evolution Mining, afirmou em entrevista ao canal da Bloomberg que agora, principalmente, é mais necessário do que nunca que os governos sigam destinando recursos para combater a crise.

    O dinheiro extra que muitos países estão imprimindo provavelmente fará com que os investidores aumentem seu interesse pelo ouro. "Há boas razões para acreditar que vamos ultrapassar aquele recorde. O ouro tem um longo caminho para percorrer e os preços serão mais altos", concluiu.

    Mais:

    Banco do BRICS empresta US$ 1 bilhão ao Brasil para amenizar golpe econômico da COVID-19
    Aumento do desmatamento pode gerar bloqueios de investimentos no Brasil, diz economista
    Caos no mercado de ouro afeta outros metais preciosos e causa grandes perdas aos bancos
    Tags:
    finanças, mercados, valorização, bolsa, economia, ouro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar