03:50 30 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    5264
    Nos siga no

    Minas fechadas e restrições nas fronteiras africanas podem desacelerar retomada da produção na China.

    Em 26 de março, a África do Sul impôs uma quarentena rigorosa em todo o país para combater o novo coronavírus. De entre os setores econômicos parados no país, está o de mineração, essencial para a produção de celulares e tantas outras mercadorias em fábricas na China, Detroit, Turim ou Tóquio.

    Mesmo com a retomada paulatina da atividade econômica na China, as fábricas podem ficar sem matérias-primas essenciais, em função da quarentena imposta em países da África, reportou a Bloomberg.

    As minas africanas estão tomando medidas rigorosas para impedir a propagação da pandemia. Na África do Sul, a Kimba Iron Ore Ltd, a principal produtora de minério de ferro do continente, assim como as principais produtoras de platina do mundo, reduziram significativamente suas atividades.

    Agente de saúde em posto de testes da COVID-19 em Joanesburgo, 30 de março de 2020
    © AP Photo / Shiraaz Mohamed
    Agente de saúde em posto de testes da COVID-19 em Joanesburgo, 30 de março de 2020

    As minas de cromo e manganês, que fornecem matérias-primas para a produção de aço, também estão operando de forma restrita.

    Em Luabala, província da República Democrática do Congo, líder na produção de cobre e cobalto usados na produção de baterias recarregáveis, as minas ainda estão abertas, mas a força de trabalho foi reduzida ao mínimo necessário, a fim de evitar contágios.

    Mesmo as minas que seguem em operação enfrentam problemas para escoar a produção, uma vez que muitas fronteiras e portos estão fechados ou com trânsito severamente restrito.

    Fila de clientes para fazer compras em uma loja Pick n Pay, Joanesburgo, África do Sul, 24 de março de 2020
    © REUTERS / Siphiwe Sibeko
    Fila de clientes para fazer compras em uma loja Pick n Pay, Joanesburgo, África do Sul, 24 de março de 2020

    Grande parte do cobre e cobalto extraído das minas do Congo, essenciais para a produção mundial, deve passar pela Zâmbia antes de chegar a portos na Tanzânia ou na África do Sul. As medidas impostas nas fronteiras da Zâmbia estão gerando filas de caminhões de até 40 quilômetros.

    Pouco depois de enfrentar a epidemia de ebola, os países africanos se preparam para um aumento de casos de COVID-19. A África do Sul é o país mais afetado pela COVID-19 no continente africano, com 5.585 casos confirmados e 9 vítimas fatais.

    Mais:

    Qual é a 'arma secreta' da Rússia para ganhar influência na África?
    África: por que a China está ganhando corrida dos investimentos?
    Coronavírus se espalha pela África e países esperam pelo pior
    Tags:
    África, matéria-prima, China, COVID-19, África do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar