08:52 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Mapa da América Latina, feito de Lego (imagem referencial)

    FMI divulga previsões econômicas globais: quais são perspectivas para América Latina?

    CC BY 2.0 / dirkb86 / dirks LEGO world map 18 closeup south america
    Economia
    URL curta
    227

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) acaba de apresentar a mais recente edição do relatório Perspectivas da Economia Mundial (WEO, na sigla em inglês), em que estima uma desaceleração na economia mundial.

    Segundo o documento, divulgado na terça-feira (9) em Washington, as expectativas para a América Latina e Caribe também são inferiores ao anteriormente esperado, tanto para 2019 como para 2020.

    As previsões de crescimento da região latino-americana é de 1,4% em 2019 e de 2,4% em 2020 — o que representa 0,6 e 0,1 pontos a menos, respectivamente, que as estimativas atualizadas em janeiro. De acordo com a organização, até 2018 a economia latino-americana cresceu 1%.

    O WEO descreve que algumas situações também contribuíram para a contração das economias e enfraqueceram sua expansão.

    "A escalada de tensões comerciais entre os EUA e a China, as tensões macroeconômicas na Argentina e Turquia, as rupturas na indústria automobilística na Alemanha, o endurecimento das políticas de crédito na China e o agravamento da incerteza política em muitas economias contribuíram para um enfraquecimento significativo da expansão global", explica o informe.

    Apesar da desaceleração econômica, o FMI se mostra otimista em relação a alguns países da América Latina. Isso devido ao desempenho "moderado" do Brasil e do México, mas, sobretudo pela estabilização e recuperação financeira" que espera para a Argentina e pelo crescimento acima da média que prevê para a Bolívia.

    Embora a agência tenha melhorado as perspectivas do Brasil, este ano reduziu suas projeções, principalmente devido ao desequilíbrio fiscal. A previsão é de crescimento de 2,1% para este ano (uma redução de 0,4 pontos percentuais em relação à estimativa feita em janeiro) e de 2,5% para 2020 (aumento de 0,3 pontos percentuais).

    Para o México, as perspectivas de crescimento se reduziram em 2019, com uma previsão de crescimento de 2,1% em janeiro, ficando agora em 1,6%. Em relação ao próximo ano, a organização prevê a mesma tendência descendente de 2,2 para 1,9%.

    A inflação subirá para 43,7% para a Argentina neste ano — um dos principais problemas do país, enquanto que em 2020 será de 23,2%. A economia do país irá contrair 1,2% em 2019 e se expandirá para 2,2% no ano que vem, segundo o relatório.

    A Venezuela aguarda uma projeção econômica acima do esperado em relação às anteriores, com uma contração de 25% em 2019 e mais 10% em 2020. De acordo com a organização financeira, o país venezuelano está em meio a uma "crise humanitária" e sua situação é considerada um "peso considerável" para o resto das economias da região.

    Quanto a Bolívia, as perspectivas estão acima da média regional, com projeção de crescimento de 4% neste ano e 3,9% em 2020. 

    Mais:

    'Nada será tão bom quanto é agora', afirma diretora do FMI sobre Brexit
    Senado argentino aprova orçamento de 2019 com as promessas feitas ao FMI
    Bancos centrais devem criar moedas virtuais próprias, diz chefe do FMI
    China ajudou a transformar economia global, afirma diretora do FMI
    Tags:
    economia mundial, perspectiva, Fundo Monetário Internacional, FMI, Brasil, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar