00:32 23 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Satélite no espaço (imagem referencial)

    Grandes potências dão início à exploração espacial econômica?

    CC0 / Pixabay
    Economia
    URL curta
    170

    O pouso bem-sucedido da China no lado oculto da Lua e a chegada da missão dos EUA aos confins do Sistema Solar demonstram que a humanidade está expandindo ativamente a sua atividade no espaço. É importante que, deixando a Terra, as pessoas deixem também as suas divergências e se esforcem por cooperar, escreve o jornal Global Times.

    Desde o primeiro voo dos russos ao espaço e até 2019 a humanidade percorreu um longo caminho, escreve o autor do artigo, assinalando que as grandes potências já entendem que o "campo de combate" seguinte pode ser o espaço.

    Os últimos acontecimentos, tais como o pouso bem-sucedido de uma sonda da China no lado oculto da Lua e a chegada da missão dos EUA New Horizons ao asteróide 2014 MU69, nos confins do Sistema Solar, revelam grandes avanços na esfera de exploração espacial e expansão da atividade humana no espaço, ressalta o jornal.

    Desde o início do novo milênio, as agências espaciais da China, Rússia, UE e EUA começaram a desenvolver ativamente novos projetos econômicos que ultrapassam o mercado da Terra, segundo o artigo. O crescimento da população e o esgotamento dos recursos da Terra faz pensar que precisamos de introduzir inovações mais rapidamente. A economia espacial possivelmente levará a uma "nova revolução industrial" e a novas possibilidades.

    Falando da exploração espacial econômica, se trata em primeiro lugar da exploração do subsolo dos corpos celestes na órbita da Terra. Há várias organizações que se dedicam a tornar essa atividade mais eficaz, por exemplo, a empresa norte-americana Moon Express tem o objetivo de explorar os recursos da superfície da Lua.

    No entanto, a exploração dos corpos celestes está ligada em primeiro lugar à exploração espacial, lembra o analista. Tanto empresas estatais, como privadas se dedicam a tais projetos. Assim, o pouso bem-sucedido da sonda chinesa Chang'e 4 no lado oculto da Lua aconteceu no âmbito da missão de investigação da possibilidade de colonização humana de outros planetas.

    Enquanto a Rússia está focada nos projetos sobre o satélite da Terra, a NASA e a SpaceX norte-americanas esperam enviar a Marte 1 milhão de pessoas durante os próximos 50 anos, indica o artigo.

    Quanto à exploração espacial econômica mais avançada, algumas plataformas financeiras já pensam do funcionamento fora da Terra. Por exemplo, alguns anos atrás a empresa PayPal propôs a iniciativa PayPal Galactic, destinada à realização de pagamentos no espaço.

    De acordo com o autor do artigo, os grandes projetos espaciais podem se tornar um "momento decisivo" para a humanidade e ajudar a ultrapassar a etapa de concorrência e mentalidade da Guerra Fria. As grandes potências devem ver na exploração espacial "um novo início das relações internacionais", mas para isso é necessário um modo de pensar novo, focado na cooperação.

    Mais:

    Sonda da NASA descobre novo exoplaneta 3 vezes maior que a Terra
    Conheça o último avanço alcançado pela sonda da NASA em Marte (VÍDEO)
    Sonda chinesa faz 1º pouso da história no lado oculto da Lua
    Campo magnético da Terra está mudando de forma estranha e geólogos não sabem o porquê
    Tags:
    exploração espacial, avanço, cooperação, economia, Espaço, Terra, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar