23:28 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Dólar

    Pôr fim à hegemonia do dólar: utopia ou realidade futura?

    © Sputnik / Natalia Seliverstova
    Economia
    URL curta
    5230

    Depois de anos de conversas sobre como reduzir a dependência do dólar estadunidense, vários países estão passando a ações concretas.

    Em 14 de setembro, o presidente do banco russo VTB, Andrei Kostin, apresentou um plano de desdolarização do país. O líder da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, também fez propostas para privar o dólar de seu status atual. 

    Jean-Claude Juncker queixou-se de que a Europa paga 80% das importações de energia na divisa norte-americana e descreveu "absurdo" o fato de que as empresas europeias adquirem aviões europeus em dólares e não em euros.

    No entanto, não será possível abandonar o dólar por completo, opinam especialistas. O sistema financeiro mundial está projetado para que o dólar seja responsável por 70% de todos os pagamentos.

    "A Rússia vende o petróleo que está denominado em dólares e, para realizar operações de importação e exportação, uma parte significativa de suas reservas deve ser mantida na divisa dos EUA", disse o analista financeiro da corretora russa Otkrytie Brocker, Timur Nigmatulin.

    O analista econômico independente Anton Shabanov considera, por sua parte, que a ideia de uma transição para acordos mútuos em moedas nacionais é bastante lógica, mas o plano do presidente do banco VTB parece quase utópico. A questão é que não há infraestrutura global suficiente, disse Shabanov em entrevista à Sputnik.

    Segundo as previsões do Banco Mundial, o dólar perderá seu papel de liderança no sistema financeiro global e será substituído por um conjunto de três moedas: o euro, o dólar e uma moeda asiática, provavelmente o yuan chinês.

    Recentemente, o presidente do VTB, Andrei Kostin, revelou alguns detalhes de seu plano de desdolarização da Rússia.

    "A primeira etapa é uma transição acelerada para outras moedas (euro, yuan e rublo) em operações de importação e exportação", anunciou o banqueiro durante o Fórum Econômico do Oriente em Vladivostok.

    O segundo ponto, para Kostin, é "transferir para a jurisdição russa os grandes grupos nacionais" que têm domicílio oficial em outros países. Além disso, o presidente do VTB propôs elevar ao máximo o volume de eurobonds alocados em plataformas nacionais, utilizar uma alternativa russa ao sistema de compensação e liquidação de valores Euroclear, bem como introduzir a prática de licenças, para que todos os atores do mercado de valores sigam as mesmas regras. 

    Rublo ou euro?

    Se as contrapartes da Rússia concordassem em investir suas moedas em rublos para usá-los no pagamento do petróleo fornecido, isso ajudaria a fortalecer a divisa russa. O principal problema é o alto risco do rublo, cuja cotação é volátil e imprevisível.

    "A transição, claro, é possível, a Rússia deveria dar alguns descontos ou preferências de modo a, pelo menos, cobrir os riscos para os parceiros", diz Sergei Khestanov, da corretora russa Otkrytie Broker.

    Mais:

    Manipulador de moedas: Trump está levando o dólar à desvalorização
    'Se países do golfo Pérsico criassem uma moeda comum, o dólar iria tremer'
    Rússia pensa em abrir mão do dólar nas transações com parceiros da área técnico-militar
    Tags:
    dólar, rublo, relações bilaterais, União Europeia, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik