09:44 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Bitcoin

    Seria a tecnologia de blockchain tão revolucionária como dizem?

    © Sputnik/ Vladimir Astapkovich
    Economia
    URL curta
    241

    O bitcoin representa um ativo arriscado, e as bruscas oscilações da moeda o comprovam. Contudo, alguns analistas acreditam que a tecnologia de blockchain um dia poderá trazer benefícios à humanidade e não somente aos especuladores de moeda.

    A revista britânica The Economist assinalou que o bitcoin, bem como outras criptomoedas, são pouco úteis, enquanto a tecnologia blockchain é a melhor interpretação de uma base de dados, já que todos os usuários da base podem copiá-la e alterá-la por esta não estar regulada pelas autoridades, tampouco está centralizada.

    De acordo com a revista, os defensores do blockchain acreditam que este é capaz de resolver um conjunto de problemas, como racionalizar pagamentos bancários, garantir a proveniência de medicamentos, assegurar os direitos de propriedade e fornecer documentos infalsificáveis para refugiados.

    Muitas dessas crenças foram inventadas pelos especuladores que esperavam que o entusiasmo pelo blockchain suportasse o alto preço dos bitcoins. Contudo, as empresas que utilizam essa tecnologia acabam descartando-a muito frequentemente. A contínua alteração de dados no sistema blockchain, efetuada por seus usuários, contribui para sua lentidão.

    Essas limitações provocaram certo resfriamento dos usuários em relação à tecnologia. Tais organizações como a SWIFT, rede de pagamentos bancários, e Stripe, uma empresa de pagamentos on-line, abandonaram seus projetos relacionados ao uso de blockchain, ao concluir que os não lhes traria benefícios suficientes.

    "O fato de o blockchain ter sido sobrestimado não significa que seja uma tecnologia inútil. Sua habilidade de vincular os usuários a uma forma particular de trabalhar pode ser prática em áreas onde ainda não existe uma autoridade centralizada, como no comércio internacional", explica The Economist.

    No entanto, a mídia assinalou também que "o blockchain não é uma panaceia contra as ameaças que sempre acompanham a implementação de grandes projetos tecnológicos, como o alto custo, a complexidade e as expectativas sobrestimadas", acrescentando que "as criptomoedas não alcançaram seus objetivos ambiciosos".

    O bitcoin foi concebido como um projeto que iria oferecer uma oportunidade para as pessoas fazerem transações sem interferência de bancos e governos.

    A demanda que poderia sustentar seu valor e uma regulação limitada contribuíram para o fato de que o bitcoin e outras criptomoedas tornaram-se foco de especulação. Algumas pessoas acumularam grandes fortunas quando seus preços subiram, enquanto outras acabaram por perder todo o seu dinheiro.

    Os economistas, de acordo com a revista britânica, definem uma moeda como algo que pode um dia se tornar um instrumento de troca, uma reserva de valor ou uma unidade de conta.

    "A falta de aprovação e sua volatilidade indicam que as criptomoedas não correspondem a nenhum desses critérios, mas tal não significa que elas desaparecerão no futuro. Há poucas razões para pensar que [algum dia] as moedas virtuais passem a ser algo mais do que um cassino demasiadamente complicado e não confiável", conclui a mídia.

    Mais:

    Bitcoin está em coma: o que acontecerá com valor da criptomoeda no futuro próximo?
    Nobel de Economia: bitcoin atrai quem gosta da ideia de que não veio de algum governo
    'Ouro é uma religião': multimilionário é contra ouro e bitcoin
    Tags:
    blockchain, especulação financeira, bitcoin
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik