18:12 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Cédulas de dólar e yuan fotografadas em Pequim (arquivo)

    China força depreciação artificial do yuan em meio a guerra comercial contra os EUA

    © REUTERS / Jason Lee
    Economia
    URL curta
    7191

    O Banco Central chinês continua enfraquecendo o yuan artificialmente como forma de compensar perdas comerciais ocasionadas por tarifas dos EUA. Nesta quinta, a moeda caiu 0,73% em relação ao dólar, um sinal de que a guerra comercial entre os dois países pode estar apenas começando.

    O Banco Popular da China estabeleceu a taxa de câmbio média em 6,6726 yuans por dólar, um aumento de 492 pontos em relação à quarta-feira.

    O governo Trump prometeu reduzir o déficit comercial com a China ao impor tarifas elevadas sobre 34 bilhões de dólares em importações chinesas na semana passada, além de ameaçar estabelecer 200 bilhões de dólares em tarifas extras em setembro se Pequim não parar o que Washington considera "práticas comerciais injustas".

    O Ministério do Comércio da China respondeu à altura dizendo que tomaria medidas de retaliação se Washington impusesse as tarifas sobre os produtos chineses "para proteger os principais interesses do Estado, bem como os interesses centrais de seu povo". Pequim também ressaltou que "as ações dos Estados Unidos prejudicam a China, o mundo inteiro e também seu país".

    Tags:
    depreciação cambial, dólar, guerra comercial, yuan, Ministério do Comércio da China, Banco Popular da China, Estados Unidos, Pequim, China, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik