11:17 08 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Estátua da Liberdade, em Nova York

    Alarme nos EUA: Rússia encontra método inovador para contornar sanções

    © AP Photo / Richard Drew
    Economia
    URL curta
    9400
    Nos siga no

    A verdadeira ameaça para a hegemonia dos EUA é a rápida inovação tecnológica nas finanças. Países como a Venezuela e a Rússia já planejam lançar suas próprias criptomoedas para contornar as sanções financeiras de Washington.

    A verdadeira ameaça para os EUA é o desenvolvimento tecnológico do setor financeiro, fazendo com que Washington perca controle do setor, lê-se no artigo publicado no portal Foreign Policy.

    Isso inclui novas formas de realizar transações financeiras, incluindo através da tecnologia de blockchain (tecnologia de banco de dados distribuído) no qual se baseia o bitcoin e que agora está sendo cada vez mais utilizada em transações regulares por parte de bancos e outras grandes empresas.

    "Bem como os EUA conseguiram obter os melhores benefícios da Internet, agora Washington deve perguntar-se: 'como podemos seguir sendo relevantes em um mundo decentralizado'", declarou Yaya Fanusine, ex-analista da CIA.

    Segundo Foreign Policy, graças ao espetacular aumento do valor do bitcoin e o interesse de tais Estados como a Venezuela e a Rússia em criar suas próprias alternativas ao dólar, a preocupação dos EUA de poder estar se tornando em um país menos relevante está crescendo. 

    Abandonar o dólar

    Os esforços da Rússia, China e de outros Estados para criar uma arquitetura financeira paralela à já existente, para que os legisladores dos EUA e da Europa não mantenham o controle sobre quem está enviado dinheiro e aonde preocupam Washington, preocupa e muito.

    "Por exemplo, em 2015, a Rússia buscou desenvolver sua própria alternativa ao SWIFT, o sistema de pagamento de Bruxelas que conecta a Europa ao sistema financeiro internacional", explicou o Foreign Policy.

    Além disso, a China e a Rússia discutiram criar um sistema de pagamento alternativo para os países emergentes no âmbito do bloco BRICS — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

    Não é de admirar que os desejos de criar um sistema alternativo preocupam os especialistas. Segundo eles, isso poderia facilitar que pessoas e empresas contornem as sanções ocidentais.

    Tecnologia de blockchain

    A Rússia e a China podem também desenvolver a tecnologia de blockchain que "acelera todo tipo de transações financeiras e reduz drasticamente os custos". E o melhor é que utilização de moedas virtuais é opcional. As empresas IBM e Maersk já usam a tecnologia de blockchain para poupar custos, utilizando moedas tradicionais como dólar, euro e iene. 

    "Há gigantes bancários internacionais que estão desenvolvendo plataformas com base no blockchain para fazer todo tipo de transações financeiras de maneira mais rápida e barata", avisaram os autores do artigo. 

    A dependência dos EUA de suas sanções financeiras para conter terceiros Estados por suas políticas – o Irã, Coreia do Norte, Rússia, Venezuela – é evidente: elas são a primeira escolha dos legisladores norte-americanos. 

    O fato de que o dólar e a bolsa de Nova York são epicentro das finanças mundiais dá aos EUA uma vantagem que poderia ser ameaçada por uma inovação financeira, concluíram os especialistas.

    Mais:

    Montanha russa 'Sobe e Desce' dá boas-vindas ao bitcoin
    Tags:
    blockchain, criptomoeda, bitcoin, finanças, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar