04:35 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Nota de cinco dólares em chamas

    O que acontecerá após a depreciação do dólar?

    CC BY 2.0 / Mike Poresky / Fogo
    Economia
    URL curta
    3201
    Nos siga no

    O dólar "barato" forçará vários bancos centrais a rever sua política monetária, opinam vários especialistas citados pela agência Bloomberg.

    Cédulas de dólar
    Marcello Casal Jr/Agência Brasil
    Os especialistas da corporação bancária BNY Mellon e os da Crédit Agricole consideram que o futuro declínio da taxa de câmbio do dólar em relação a outras moedas mundiais poderia afetar os bancos centrais que não precisavam apertar sua política monetária conforme planejaram até agora.

    "De um ponto de vista mais amplo, uma moeda mais forte é semelhante ao processo de endurecimento da política monetária [por parte dos bancos]", explicou Mohit Kumar, do grupo bancário francês, citado pela Bloomberg.

    A depreciação da taxa de câmbio da moeda norte-americana poderia travar o crescimento econômico e conter a inflação, criando desta maneira um espaço para que as taxas de juro continuem a ser reduzidas ainda mais.

    "Se a taxa de câmbio do dólar não aumentar, haverá o risco de que a política de dinheiro barato acabará criando bolhas nos mercados de ativos, o que deixará os bancos centrais sem munição para lutar contra a próxima crise", advertiu Bloomberg.

    Caso a Reserva Federal (banco central dos EUA) decida aumentar a taxa de juro para responder à depreciação do dólar, a era dessa política chegará ao seu fim.

    Atualmente, os bancos centrais de cada Estado podem aplicar dois tipos de políticas monetárias: a política monetária expansiva e a política monetária contracionista.

    A política monetária expansiva é implementada durante uma depressão para empurrar a economia e estimular o crescimento da atividade econômica. O uso desta política implica no aumento da oferta de dinheiro através da redução de juros. Se as taxas de juros diminuírem, os bancos comerciais começam a dar mais empréstimos e, como resultado, a oferta de dinheiro na economia aumenta.

    A implementação de uma política monetária contracionista, por sua vez, consiste em usar contramedidas e é realizada durante o superaquecimento de uma economia.

    Mais:

    Como Rússia e China estão livrando-se da dependência do dólar?
    3 fatores-chave que levam ao fim da era do dólar
    Tags:
    finanças, política monetária, dólar, Bloomberg, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar