22:14 10 Dezembro 2016
Ouvir Rádio
    Membros OPEP e outros países chegaram a um acordo hoje para reduzir drasticamente a produção do combustível

    Arábia Saudita cortará produção de petróleo a partir de janeiro

    © AP Photo/ Vahid Salemi
    Economia
    URL curta
    698024

    Autoridades da Arábia Saudita informaram hoje que pretendem começar a cortar sua produção de petróleo no início do ano que vem.

    De acordo com o Ministério da Energia, a previsão é a de que o país passe a produzir no máximo 1,2 milhão de barris do combustível por dia, o que representaria um corte de 486 mil barris. 

    Mais cedo, os membros da OPEP concordaram em reduzir a produção de petróleo do grupo para 32,5 milhão de barris diários, a fim de reequilibrar os preços do produto. Logo após o anúncio da decisão, o preço do Brent teve uma alta de 8%, alcançando valores superiores a US$ 50.

    Comentando os resultados da reunião, o ministro do Petróleo da Nigéria afirmou que a Rússia e outros países que não são membros da OPEP também devem reduzir a sua produção, informação que foi confirmada pelo secretário-geral da organização, Mohammad Sanusi Barkindo, segundo o qual os russos se comprometeram a cortar em 300 mil barris o seu volume diário de petróleo. 

    Por sua vez, o ministro iraniano Bijan Namdar Zanganeh disse em conversa com jornalistas que estava muito feliz pelo acordo alcançado, mesmo que o Irã não faça parte da OPEP. Teerã cortará sua produção em 90 mil barris, para 3,79 milhões. 

    Turbulências no mercado energético fizeram o preço do petróleo despencar de US$ 115 o barril em junho de 2014 para menos de US$ 30 em janeiro deste ano, levando muitos países exportadores a graves crises econômicas. Atualmente, o combustível tem se mantido com valores que variam entre US$ 45 e US$ 50. 

    Mais:

    Premiê iraquiano se recusa a 'pagar aos EUA com petróleo' pela ajuda na luta contra Daesh
    Vermes vão indicar onde o petróleo está escondido
    Putin: ‘congelamento de produção de petróleo não é um problema’
    Ministério russo: declaração sobre nova jazida de petróleo nos EUA é 'artimanha'
    Tags:
    Brent, petróleo, OPEP, Mohammad Barkindo, Bijan Namdar Zanganeh, Nigéria, Irã, Rússia, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Todos os comentários

    • Thor JIUJITSU
      A Rússia deve triplicar o preço do gás fornecido pra Europa e Ucrânia. A Europa que compre cobertor se não quiser passar frio
    Mostrar comentários novos (0)

    Em foco