00:25 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    71131
    Nos siga no

    Na quarta-feira (8), o secretário da Marinha dos EUA, junto com senadores e congressistas de Maine e New Hampshire, deram o primeiro passo para uma grande renovação do estaleiro naval de Portsmouth.

    De acordo com a senadora Susan Collins, o projeto de expansão da doca seca vai custar mais de US$ 2 bilhões (R$ 10,6 bilhões), com alguns senadores, inclusive, afirmando que este será o projeto de construção mais caro dos EUA, segundo a emissora News Center Maine.

    Estaleiro naval de Portsmouth
    © AP Photo / Charles Krupa
    Estaleiro naval de Portsmouth

    O projeto de sete anos, que faz parte do Programa de Otimização da Infraestrutura dos Estaleiros Federais, duplicará o tamanho da área existente da doca seca do estaleiro, onde os submarinos de ataque da Marinha são reparados, mantidos e modernizados.

    "Como o maior projeto de construção militar da história, este é um investimento significante para os americanos. Com este investimento, eles poderão dormir mais seguros, eles saberão que nossa frota de ataque nuclear pode contar com uma manutenção e reparos rápidos.

    Nossos navios não terão de esperar no mar por doca seca", afirmou Carlos Del Toro, secretário da Marinha dos EUA.

    Ao final da construção, a nova doca vai permitir ao estaleiro prestar serviços aos maiores submarinos da Marinha norte-americana, além de permitir trabalhos em dois submarinos ao mesmo tempo.

    Para Carlos Del Toro e Susan Collins, os submarinos e destróieres são essenciais para conter as crescentes ameaças marítimas.

    Mais:

    Marinha dos EUA usa helicópteros não tripulados para testar mapeamento de litorais com sistema LiDAR
    Marinha dos EUA demonstra nova arma antinavio NMESIS durante exercício
    The National Interest: novo míssil russo Tsirkon colocará Marinha dos EUA em grande risco
    Tags:
    estaleiro, Estaleiro e Base Naval, EUA, Marinha dos EUA, investimentos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar